Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Angola/Eleições: CNE elogiou forma salutar da campanha eleitoral

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/08/2017 Administrator

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) angolana considerou salutar a forma como está a decorrer a campanha eleitoral, que termina a 21 deste mês, embora com relatos "muito pontuais" de situações de intolerância política em algumas zonas do país.

A situação foi descrita pela porta-voz da CNE, Júlia Ferreira, no final de um encontro com os mandatários das seis formações políticas que concorrem às eleições gerais de 23 de agosto - MPLA, UNITA, CASA-CE, PRS, FNLA e APN.

Segundo Júlia Ferreira, as informações oficiais disponíveis garantem que são situações que "não maculam nem põem em causa a serenidade com que está a ser desenvolvida a campanha eleitoral".

Contudo, a CNE fez um apelo aos partidos políticos no sentido de intensificarem a mobilização, a exortação dos seus apoiantes, para que "assumam uma atitude cívica, ordeira, de tolerância política, de respeito pela diferença", com vista a se obter um resultado dessa campanha eleitoral "mais positivo, mais salutar, em abono da democracia".

"Recomendamos também que o apelo desses partidos fosse no sentido de adverti-los para determinadas práticas que põem em causa a organização do processo eleitoral", disse Júlia Ferreira, referindo-se aos casos de vandalismo sobre o trabalho da CNE, como a retirada de dísticos nas assembleias de voto, das listas dos eleitores fixadas nas assembleias de voto.

A responsável avançou que o mesmo encontro serviu para a entrega formal aos partidos políticos concorrentes de um dispositivo com o formato digital, relativo à lista dos eleitores.

Júlia Ferreira frisou que o material entregue tem como conteúdo a listagem nominal dos cidadãos eleitores, com a respetiva identificação da assembleia de voto e mesa de voto, onde os cidadãos eleitores vão exercer o seu direito de voto.

"Embora não esteja na lei esta tarefa, a CNE em apanágio da transparência e com vista a dotar os partidos políticos de melhores facilidades e com condições para a concretização das suas tarefas deliberamos no sentido de municiar as forças concorrentes com essa informação", disse.

A porta-voz da CNE disse ainda que na reunião foi igualmente solicitado aos partidos políticos a indicação dos mandatários provinciais para os centros de escrutínio e apuramento de votos, conforme prevê a Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais.

"Aqui ao nível nacional já temos os mandatários indicados, mas a nível das províncias, onde também estão instalados centros de escrutínio provinciais ainda não existem mandatários designados", comentou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon