Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Angola enaltece contribuição da União Europeia para desenvolvimento sustentável

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/07/2017 Administrator

O Governo angolano sublinhou hoje o potencial do projeto de Revitalização de Ensino Técnico e da Formação Profissional (RETFOP), um financiamento de 22 milhões de euros da União Europeia, na sua contribuição para o desenvolvimento sustentável de Angola.

A posição foi expressa pelo ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial de Angola, Job Graça, que procedeu hoje à assinatura do acordo com o representante da União Europeia em Angola, Tomas Ulicný.

No seu discurso, Job Graça referiu que os setores de intervenção, designadamente a agricultura, pecuária, pescas, construção civil, logística e transportes, ambiente e gestão de águas e de resíduos sólidos, vão permitir o aumento da produtividade, com mão de obra mais qualificada.

Job Graça destacou ainda como vantagens maior geração de rendimento, sustentabilidade e inclusividade no processo de crescimento de Angola.

"Deste modo podemos concluir que este projeto terá um impacto positivo no processo de desenvolvimento sustentável do país e sê-lo-á ainda mais se nós tivermos êxito na implementação da sua primeira fase", a ser executada nas províncias de Benguela, Huambo, Huíla, Luanda, Moxico e Uíge.

Segundo o governante angolano, determinou a escolha dessas seis províncias a sua relevância nos setores de intervenção, o facto de todas juntas deterem cerca de dois terços da rede dos sistemas de ensino médio técnico e formação profissional e cerca de 80% das empresas.

"Dada a contribuição substancial que este projeto, em termos potenciais, pode dar para o desenvolvimento sustentável de Angola, gostaríamos de saudar e agradecer a União Europeia, manifestando-lhe o nosso total compromisso com a manutenção e aprofundamento da mútua e benéfica parceria entre Angola e a União Europeia", disse o ministro.

Por sua vez, o representante da União Europeia em Angola, Tomas Ulicný, disse que o apoio da organização no sistema de educação e formação profissional irá contribuir para o fortalecimento das estruturas nacionais de ensino e formação profissional e de emprego.

O embaixador europeu referiu ainda que o projeto vai trazer melhorias na qualidade do sistema de educação, assegurando que os formados adquiram conhecimentos, competências e atitudes relevantes e apropriadas às necessidades da economia.

"Acreditamos que isto constitui uma valiosa ferramenta para Angola na sua caminhada rumo ao desenvolvimento sustentável inclusivo. Que abarque os membros mais vulneráveis da sociedade no processo da criação de riqueza", disse, reiterando o apoio da União Europeia aos parceiros do projeto.

Em declarações à imprensa, o ministro da Educação de Angola, Mpinda Simão, que também esteve presente no ato, referiu que o projeto foi preconizado pelo seu ministério, que tem como objetivo ajudar no reforço das competências sobretudo de gestão dos professores do ensino técnico profissional e da formação profissional.

"Além disso o projeto vai ajudar a estabelecer a ponte que deve existir entre os que formam e os que empregam, para que haja interação e surgirem subsídios necessários para melhorar a formação e facilitar a integração no mercado de trabalho", disse.

O projeto, a ser desenvolvido em cinco anos, é comparticipado com fundos comunitários e terá a gestão indireta de agências de cooperação dos Estados-membros, casos do Instituto Camões e do France Expertise.

A União Europeia disponibilizou em 30 anos de cooperação com Angola 1,05 mil milhões de euros e prevê para os próximos cinco anos dotar mais 210 milhões de euros para vários projetos, com destaque para a agricultura sustentável.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon