Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

António Costa discute futuro da Europa com Emmanuel Macron em Paris

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/07/2017 Administrator

O primeiro-ministro, António Costa, vai ser recebido pelo Presidente da República de França, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, em Paris, no próximo dia 28, num almoço de trabalho em que debaterão o futuro da Europa.

Segundo uma nota do gabinete do primeiro-ministro, na agenda deste encontro estará, em particular, "a reforma da União Económica e Monetária" - tema que António Costa considera "decisivo".

António Costa tem defendido que qualquer progresso da União Europeia tem de passar necessariamente por uma reforma da arquitetura do euro e por uma diminuição das assimetrias entre os diferentes Estados-membros.

Fonte do executivo referiu à agência Lusa que, desde a eleição do novo chefe de Estado francês, o primeiro-ministro já esteve por duas vezes com Emmanuel Macron, num Conselho Europeu e numa reunião de alto nível da NATO em Bruxelas.

No final deste encontro, segundo o gabinete do primeiro-ministro, estão previstas declarações à imprensa.

Logo após a eleição de Macron, no passado dia 07 de maio, António Costa felicitou-o, considerando tratar-se de "uma boa notícia para França, para a Europa e para Portugal".

Em maio, durante uma visita oficial ao Qatar, o primeiro-ministro desvalorizou a caraterização de liberal feita ao recém-eleito Presidente francês, considerando, pelo contrário, que o programa de Emmanuel Macron está "muito alinhado" com o do Governo português em matéria europeia.

"A posição que [Emmanuel Macron] tem apresentado em matéria de Europa aposta no reforço da sua componente social e, claramente, numa nova visão da zona euro como espaço de convergência económica. O programa é muito alinhado com as ideias que temos em matéria europeia", defendeu então o primeiro-ministro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon