Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

António Costa recusa comentar declarações sobre Portugal de vice-presidente da UNITA

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/09/2017 Administrator

O primeiro-ministro, António Costa, escusou-se hoje a comentar declarações sobre Portugal do vice-presidente da UNITA, Raúl Danda, sublinhando estar "a meio de uma campanha eleitoral". "Acha que a meio de uma campanha eleitoral ando a fazer comentários internacionais? Não", declarou o chefe de Governo e também líder do PS, respondendo a questões dos jornalistas numa ação em Lagos, no Algarve, para as autárquicas de outubro. O vice-presidente da ...

O primeiro-ministro, António Costa, escusou-se hoje a comentar declarações sobre Portugal do vice-presidente da UNITA, Raúl Danda, sublinhando estar "a meio de uma campanha eleitoral".

"Acha que a meio de uma campanha eleitoral ando a fazer comentários internacionais? Não", declarou o chefe de Governo e também líder do PS, respondendo a questões dos jornalistas numa ação em Lagos, no Algarve, para as autárquicas de outubro.

O vice-presidente da UNITA, Raúl Danda, considerou, em entrevista hoje publicada pela agência Lusa, que Portugal se tem "vergado" nas relações com Angola, colocando-se numa "situação de verdadeira dependência" e defendeu que falta um olhar "de igual para igual".

"O facto de lá para trás Portugal ter colonizado Angola não devia fazer com que se jogasse um papel mais ou menos inverso, que é o que eu observo", disse o responsável.

E prosseguiu: "Se surge um órgão de comunicação social a falar de um membro do Governo [angolano], uma alta figura na hierarquia do MPLA, zangam-se, fazem uma birra que nem crianças, agora não queremos mais Portugal e Portugal verga. Quando Angola diz que a ministra não vem, agora não queremos, Portugal verga. Quando gritam agora podem vir para vir à tomada de posse [do novo Presidente, João Lourenço], Portugal verga".

Para o dirigente do maior partido da oposição angolano, "por uma questão de dignidade, a determinada altura é preciso que olhemos para os outros de igual para igual".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon