Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Apoio do Benfica a claques ilegais: "Decorre um processo de inquérito"

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/05/2017 Alcides Freire

O presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude, Augusto Baganha, falou sobre as acusações de que Vítor Pataco, vice-presidente do IPDJ, teria "guardado na gaveta" um despacho que pedia a punição do Benfica por apoio a claques ilegais

Augusto Baganha © Fornecido por O jogo Augusto Baganha

O presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude, Augusto Baganha, garantiu que tudo está a ser feito dentro das normas no que diz respeito ao registo dos grupos organizados de apoio.

"O Instituto tem as suas competências relativamente ao que tem a ver com o registo das claques e tem-no feito. Tudo está a correr dentro do que são as normas. Nós estamos a fazer o nosso caminho e o Instituto está a pugnar pelos princípios da ética", afirmou.

Sobre as acusações de que Vítor Pataco, vice-presidente do IPDJ, teria "guardado na gaveta" um despacho que pedia a punição do Benfica por apoio a claques ilegais, Augusto Baganha preferiu não comentar, até "porque está a decorrer um processo de inquérito internamente".

De visita ao Estoril Open, Augusto Baganha pediu respeito aos agentes desportivos, dando o exemplo do ténis, "que tem festa, convívio e em que há respeito entre os adversários". "As pessoas não são inimigas, são adversárias, procuram ganhar, mas tudo dentro das regras. É isso que se pretende para o desporto. Eu sou um perfeito seguidor daquilo que são os princípios e os valores da ética e temos de cada vez mais avançar nesse sentido, de respeito de uns para com os outros", afirmou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon