Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Arábia Saudita vai autorizar mulheres a assistir a jogos em três estádios

Logótipo de O Jogo O Jogo 29/10/2017 Hugo M. Monteiro

A decisão inédita é anunciada numa altura em que o reino do Golfo começou recentemente a aliviar as restrições às mulheres

A Arábia Saudita vai autorizar as mulheres a assistir a acontecimentos desportivos em três estádios do país a partir de 2018, indicaram hoje as autoridades do reino ultraconservador.

Segundo a Autoridade Geral do Desporto, numa mensagem na rede social Twitter, três estádios, em Riade, Jeddah (oeste) e Dammam (leste) começaram a ser preparados para receber famílias a partir do início de 2018.

Em setembro, o rei Salmane permitiu que as mulheres sauditas possam conduzir automóveis a partir de junho de 2018, uma decisão histórica naquele que é o último país do mundo que interdita a condução automóvel às mulheres.

Poucos dias antes, centenas de mulheres sauditas já se tinham sentado pela primeira vez num estádio em Riade, por ocasião do feriado nacional, para assistir a concertos e fogos-de-artifício. Até então nunca tinham sido admitidas em estádios, no âmbito da aplicação da regra de separação de géneros em espaços públicos.

© Fornecido por O jogo

Na Arábia Saudita as mulheres estão submetidas à tutela de um homem da família, normalmente o pai, o marido ou um irmão, para estudarem ou viajar.

No quadro de um ambicioso plano de reformas económicas e sociais para o horizonte de 2030, no sentido de limitar a dependência do petróleo, Riade parece estar a amenizar restrições que eram impostas às mulheres, apesar da oposição dos ultraconservadores.

Em julho, os ativistas dos direitos humanos já se tinham congratulado com a decisão do Ministério da Educação de permitir que as raparigas pratiquem desporto nas escolas públicas.

As mulheres sauditas não são autorizadas a praticar desporto em público. A abertura de salas de desporto privadas para mulheres suscitou polémica.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon