Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Arranque do V. Guimarães com dúvidas e à espera de reforços

Logótipo de O Jogo O Jogo 03/07/2017 Alcides Freire
© MIGUEL A. LOPES

Trinta e cinco dias depois de ter terminado uma época fantástica, culminada com um quarto lugar e uma ida à final da Taça de Portugal, o Vitória dá o pontapé de saída para 2017/18.

Pedro Martins tem 33 dias para preparar a equipa para a Supertaça Cândido de Oliveira, perante o Benfica. Como tem acontecido nos últimos anos, o plantel está longe da configuração final e, se o objetivo é "fechar" o grupo o mais cedo possível, até ao dia 31 de agosto há sempre a possibilidade de o treinador receber jogadores e, também, ficar sem eles.

Certo é que o arranque da pré-época vai realizar-se com um plantel "fictício", composto pelos jogadores que estão sob contrato e que transitam da época anterior e por vários elementos da equipa B: Miguel Oliveira, Sacko, Marcos Valente, Dénis Duarte, Vigário, Kiko, Joseph, Xande Silva e Hélder Ferreira. Destes nove jogadores, o defesa-direito Sacko e o defesa-esquerdo Vigário deverão fazer parte do plantel principal se entretanto o clube não resolver ir ao mercado em busca de outras soluções. Com dois reforços garantidos (o médio Francisco Ramos e o ponta de lança Estupiñán) e muitas lacunas para preencher, a continuidade do central Pedro Henrique está também assegurada, o mesmo não se podendo dizer de Hurtado. Emprestado pelo Reading na época passada, o peruano pretende continuar a representar o clube vitoriano, mas a SAD ainda não tem a negociação fechada com o emblema inglês.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon