Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Ato injustificável que envergonha o Canelas", afirma presidente do clube

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/04/2017 Alcides Freire
© Global Imagens

Bruno Canastro, presidente do Canelas, elogia o capitão Fernando Madureira, pede desculpa ao árbitro e enaltece trabalho da AF Porto e da PSP

"Lamento profundamente o sucedido", foi assim que Bruno Canastro, presidente de Canelas, reagiu ao que sucedeu no jogo da sua equipa com o Sport Rio Tinto. Contactado por O JOGO, garantiu que o clube não se revê na atitude de Marco Gonçalves, o autor da agressão ao árbitro José Rodrigues, insistindo que nada semelhante sucedeu em jogos anteriores. "O Canelas não se revê em nenhum ato de violência. Apesar de todo o alarido à volta do nosso clube, não houve nos jogos anteriores nenhum facto a apontar e estamos profundamente entristecidos com o que aconteceu neste jogo".

Canastro fez questão de destacar o papel do capitão de equipa, Fernando Madureira. "Foi algo completamente inesperado, apesar dos meus jogadores terem tentado evitar o sucedido - vê-se nas imagens o Madureira a afastar o Marco -, aconteceu um ato injustificável que envergonha o Canelas porque, apesar de ser um ato individual, o jogador tem vestida a camisola do clube".

O presidente do clube de Vila Nova de Gaia não quer que fiquem dúvidas: "Estamos solidários com o árbitro e com a equipa de arbitragem. E gostaria de elogiar o trabalho dos delegados da AF Porto na preparação do jogo e a capacidade de organização e de zelar pela segurança por parte da PSP", concluiu.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon