Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Atrevido Willock surpreende o próprio Rui Vitória

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/07/2017 Alcides Freire

A imprevisibilidade e a capacidade de drible do atacante são algumas das qualidades que têm sido exibidas nos treinos e o treinador português não estava à espera de um rendimento já tão elevado.

Visto como um prodígio em Inglaterra, onde foi formado pelo Arsenal, único clube que representou antes de assinar pelo Benfica, Chris Willock tem deslumbrado nos primeiros treinos de águia ao peito. Integrado no plantel principal, o extremo inglês de 19 anos tem deixado muito boas indicações a Rui Vitória que, dada a juventude do internacional sub-19 inglês, não estava à espera de um rendimento tão elevado nesta fase inicial. O JOGO sabe que o atrevimento de Willock e a facilidade com que parte para o um para um são predicados que têm agradado e até surpreendido o treinador dos encarnados.

A imprevisibilidade e capacidade para driblar e partir para cima dos defesas contrários são duas das qualidades de Chris Willock, cuja principal referência é Neymar, internacional brasileiro do Barcelona. "Admiro-o pelas fintas e pela forma como se movimenta com a bola nos pés", disse Willock, numa pequena entrevista em que se deu a conhecer aos adeptos do Arsenal. "Dentro de campo, gosto de partir para o drible", afirmou, lembrando que é necessário "trabalhar bastante e ouvir os conselhos dos treinadores" para conseguir impor-se nas equipas por onde passa.

Formado na academia do clube londrino, Willock começou a jogar aos cinco anos e aos 16 alinhou em alguns particulares de pré-época do Arsenal, à semelhança do que aconteceu com Cesc Fàbregas, Wilshere ou Gnabry. Na altura, o treinador dos gunners, Arsène Wenger, registou boas impressões e considerou no imediato que era um jogador "muito interessante".

© Fornecido por O jogo

Tendo como referência o pai, Willock não esconde o orgulho que sente nos dois irmãos, também eles futebolistas. Matthew Willock, médio de 20 anos do Manchester United e Joe Willock, que ontem foi chamado por Arsène Wenger para a digressão do Arsenal à Ásia.

Apaixonado pelo desporto-rei, nos tempos livres Willock não abdica de jogos de consola, que invariavelmente estão relacionados com futebol. Cobiçado por Manchester City, Dortmund, Ajax, Lyon, entre outros, Willock recusou renovar pelo Arsenal e assinou pelo Benfica até 2022 a custo zero.

Versátil, Willock alinha preferencialmente no flanco esquerdo do ataque, mas pode desequilibrar no corredor contrário. Na Suíça, para onde as águias partem amanhã, terá oportunidade de confirmar o valor nos dois jogos particulares agendados diante de Neuchâtel Xamax e Young Boys. A ausência de Salvio e Carrillo, que só se apresentaram no domingo, dia de exames médicos para ambos, permitiu que o jovem extremo ganhasse algum espaço nas alas, dado que Zivkovic ainda goza férias e, durante a primeira semana, Rui Vitória só dispôs de Cervi e Rafa para os corredores.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon