Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Aumenta o número de crianças refugiadas detidas em celas de polícia na Grécia

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/08/2017 Administrator

O número de crianças refugiadas e não acompanhadas por adultos que se encontram em celas da polícia na Grécia aumentou de "forma alarmante" acusa a Human Rights Watch numa mensagem ao governo de Atenas.

As preocupações da organização de direitos humanos sobre as crianças foram enviadas para o ministro para as Políticas Migratórias do Executivo da Grécia, Yiannis Mouzalas.

A Human Rights Watch refere-se aos dados divulgados pelo próprio Centro Nacional de Segurança Social grego e que indicam que 117 crianças estão sob a custódia da polícia enquanto aguardam, durante longos períodos, a transferência para abrigos destinados aos refugiados.

Em novembro de 2016 havia duas crianças refugiadas sob a alçada da polícia.

"O governo grego tem de tomar atitudes urgentes para reduzir o número de crianças, refugiadas, e que não se encontram acompanhadas, que se mantêm sob custódia policial", refere a Human Rights Watch.

"Em vez de estarem a ser devidamente acompanhadas, dezenas de crianças vulneráveis continuam encerradas em condições precárias em celas da polícia, lotadas, e em outros centros de detenção policial em todo o país", especifica Eva Cossé, investigadora da Human Rights Watch.

"O governo grego tem o dever de pôr fim a estas práticas abusivas e garantir que as crianças tenham o abrigo e a proteção de que necessitam", acrescenta Cossé.

As informações obtidas pela organização não-governamental incluem documentos sobre as crianças detidas, facto que contraria a legislação grega e que obriga o Estado a acompanhar devidamente os refugiados e migrantes.

A Human Rights Watch sublinha que as decisões da Comissão Europeia sobre a transferência de responsabilidades para o governo grego estão a retirar às organizações não governamentais a possibilidade de interferir diretamente nos processos das crianças não acompanhadas, sendo que cinco centros de acolhimento correm o risco de encerramento.

A Human Rights Watch alerta também que as crianças refugiadas, em muitos casos, estão detidas em pequenas esquadras de polícia onde também se encontram adultos, desconhecendo os diretos para a obtenção de asilo no país e na União Europeia.

A organização não governamental recorda que muitas destas crianças sofrem de perturbações mentais e que estão expostas à violência e a abusos de vária ordem.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon