Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: André Ventura diz que CDS-PP cedeu "à pressão da esquerda"

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/07/2017 Administrator

O candidato do PSD e do PPM à Câmara de Loures lamentou hoje que o CDS-PP tenha decidido abandonar a coligação, acusando os democratas-cristãos de cederem "à pressão da esquerda", "aterrorizada" com o seu projeto para o concelho.

"Lamento a saída do CDS-PP de um projeto que eu acho vencedor e no qual as pessoas se reconhecem. Embora esteja no seu direito, acho que é de lamentar", afirmou André Ventura, em declarações à agência Lusa.

O CDS-PP anunciou hoje que vai seguir "um caminho próprio" nas eleições autárquicas em Loures, expressando "profundo incómodo" pela forma como o candidato se referiu recentemente à comunidade cigana. O PSD mantém o apoio ao candidato à Câmara de Loures, lamentando a decisão do CDS-PP, embora respeitando-a.

"É ceder à pressão de alguma esquerda, que está aterrorizada com esta candidatura. Sinto total confiança do meu partido, o PSD, e vou até ao dia 01 de outubro com esta candidatura", acrescentou André Ventura.

Numa entrevista publicada na semana passada pelo portal Notícias ao Minuto, André Ventura falou sobre uma "excessiva tolerância com alguns grupos e minorias étnicas".

Numa entrevista publicada na segunda-feira pelo jornal i, questionado sobre de que minorias falava, André Ventura afirmou que há pessoas que "vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado" e que acham "que estão acima das regras do Estado de direito", considerando que tal acontece particularmente com a etnia cigana.

O caso tem suscitado várias reações dos diferentes partidos, sendo que o Bloco de Esquerda já se queixou à Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, ao Ministério Público e à Ordem dos Advogados.

Do lado do PS, a reação a estas declarações surgiu através da secretária-geral adjunta, Ana Catarina Martins, que instou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, a retirar a confiança política a André Ventura.

Reagindo esta tarde às declarações do candidato do PSD e do PPM, o cabeça de lista da CDU no município e presidente da Câmara de Loures, Bernardino Soares, afirmou que tais "insinuações dão uma imagem errada do concelho" e "não correspondem de todo à verdade".

O atual executivo é ainda composto por quatro vereadores da CDU, por quatro do PS e por dois da Coligação Loures Sabe Mudar (PSD, MPT e PPM).

Além de Bernardino Soares e de André Ventura, concorrem ao município o bloquista Fabian Figueiredo e a socialista Sónia Paixão.

As eleições autárquicas decorrem a 01 de outubro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon