Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: António Parada (independente) assume-se como o "rosto da mudança" de Matosinhos

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/09/2017 Administrator

O candidato independente à Câmara Municipal de Matosinhos, com o apoio do CDS-PP, António Parada, pediu hoje uma oportunidade aos eleitores para demonstrar o que vale enquanto presidente, frisando ser o "rosto da mudança".

"Nós somos o voto útil, nós somos o rosto da mudança, nós nunca estivemos na câmara, o PS já lá esteve vários anos e o Narciso Miranda [candidato independente] esteve lá quase 30 anos, recorde-se que a candidata do PS, Luísa Salgueiro, foi vereadora de Narciso Miranda e Guilherme Pinto [ambos ex-presidentes de câmara] e, em 2009, quando teve de optar pela câmara ou pela Assembleia da República optou pela Assembleia da República, abandonando Matosinhos", disse.

António Parada, enquanto passeava pelas ruas comerciais de Matosinhos e cumprimentava as pessoas, insistiu que Luísa Salgueiro trocou Matosinhos por Lisboa, optando pelo seu interesse pessoal em vez do interesse coletivo, e, agora, aparece como candidata num "processo estranho", dado ter sido escolhida pelo Porto e não por Matosinhos.

Já quanto ao seu adversário, igualmente independente, Narciso Miranda, o candidato lembrou que esteve nos destinos da autarquia quase 30 anos, já tendo tido oportunidade de demonstrar do que era capaz.

"Já eu nunca fui presidente de câmara, além disso sou natural do concelho que conheço muito bem, mereço uma oportunidade", reforçou.

Candidato pelos PS nas últimas eleições autárquicas, das quais saiu derrotado, António Parada lembrou que se manteve na vereação, mesmo depois de ter perdido.

Agora, disse, está disponível para pôr em prática um projeto que afirme distrital, nacional e internacionalmente Matosinhos, aproveitando os seus principais recursos, nomeadamente o Terminal de Cruzeiros, o Porto de Pesca, o Porto Comercial ou o Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

O independente prometeu que, caso venha a ser eleito, irá baixar o IMI já em janeiro, tendo como meta colocar o IMI em valores iguais aos do Porto, ou seja, 0,36%.

"Desde 2006 até hoje a receita do IMI duplicou passando de 16 milhões de euros para 32 milhões de euros, mais ou menos, e a câmara mente quando diz que não pode baixar o IMI", realçou.

São candidatos à Câmara Municipal de Matosinhos, no distrito do Porto, Luísa Salgueiro (PS), Jorge Magalhães (PSD), José Pedro Rodrigues (CDU), Ferreira dos Santos (BE), Filipe Cayolla (PAN), Narciso Miranda (independente) e António Parada (independente com apoio do CDS-PP).

As eleições autárquicas estão agendadas para 01 de outubro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon