Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Autarca independente de Portalegre "bastante satisfeita" com reeleição

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/10/2017 Administrator

A presidente da Câmara de Portalegre, Adelaide Teixeira, reeleita pelo movimento Candidatura Livre e Independente por Portalegre (CLIP) para um segundo mandato, mostrou-se "bastante satisfeita" com a vitória, embora perdendo a maioria absoluta.

"Eu quero agradecer imenso a todos os portalegrenses e a esta equipa fabulosa e de luxo que me acompanhou e dizer que a partir agora, evidentemente, continuarei a ser a presidente de todos sem exceção", disse a autarca, em declarações à agência Lusa, enquanto festejava a vitória nas ruas da cidade.

Antes de vencer com maioria absoluta as eleições autárquicas em 2013, liderando a CLIP, Adelaide Teixeira governou o município, eleita pelo PSD, desde a renúncia de Mata Cáceres, a meio do seu terceiro e último mandato, em 2010.

Para os próximos quatro anos, Adelaide Teixeira promete "trabalhar" para "captar" investimento, no sentido de proporcionar "qualidade de vida" aos habitantes do concelho.

"Nós vivemos quatro anos muito difíceis, mas mesmo assim os portalegrenses compreenderam e deram-nos a vitória. Agora vamos cumprir aquilo que prometemos e trabalhar para a captação de investimento e para a qualidade de vida dos portalegrenses", disse.

Contactado pela Lusa, o candidato do PS, José Correia da Luz, assumiu a derrota e garantiu que vai ocupar o lugar de vereador no executivo municipal.

"Eu respeito a vontade dos portalegrenses, curvo-me perante as suas decisões, embora pense que eles perderam a oportunidade de ter uma equipa coesa, com a cultura política que Portalegre bem precisa, disse.

A CLIP venceu as eleições autárquicas com 31,60% dos votos, tendo perdido a maioria absoluta.

Esta votação atribui ao movimento CLIP três mandatos, ao PS dois mandatos (28,89% dos votos), enquanto a CDU conseguiu um mandato (com 18,22% dos votos) e o PSD um mandato (13,15% dos votos).

Já o CDS-PP alcançou 4,21% dos votos e o Bloco de Esquerda 0,93% dos votos, num concelho que teve uma adesão às urnas de 63,19%.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon