Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: BE alertou para elevados indices de sinistralidade com peões no Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

O candidato do BE à presidência da Câmara do Porto alertou hoje para os elevados índices de sinistralidade com peões na cidade e defendeu, entre outras medidas, a concretização do plano municipal de segurança rodoviária.

João Teixeira Lopes falava à Lusa na Avenida dos Aliados, junto ao cruzamento com a Rua Dr. Magalhães Lemos, um local que exemplifica "a forma como no Porto os direitos das pessoas e a utilização do espaço público têm vindo a ser preteridos pela circulação automóvel".

"Em 2016, na cidade do Porto, tivemos 1.152 acidentes envolvendo peões em que houve vítimas e, na verdade, se olharmos para o desenho urbano da cidade verificamos que há problemas gravíssimos", afirmou.

A candidatura de João Teixeira Lopes defende um desenho urbano orientado para as pessoas e com implementação de medidas efetivas de acalmia de tráfego e redução da velocidade automóvel para, em casos específicos, um limite máximo de 30 quilómetros hora, nomeadamente junto a zonas residenciais e na proximidade de equipamentos escolares.

Uma outra medida defendida pelo BE visa "o afastamento gradual da intensidade do trânsito no centro da cidade, favorecendo a rede de transportes públicos e a circulação da bicicleta, disciplinando o trânsito e o estacionamento abusivo".

João Teixeira Lopes considerou que "muitas das vias estão desenhadas para aceleração dos carros, ultrapassando claramente os 50 quilómetros que a lei permite", apontando também as passadeiras na Avenida dos Aliados como "um claro convite à transgressão dos peões".

"Não há um caminho curto para atravessamento e os peões, como temos estado aqui a verificar, atravessam no local onde não devem atravessar. Há quase que um convite para isso por parte da organização do próprio desenho urbano", sublinhou.

Citando dados da Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária (ANSR), só em 2016 foram 20 os locais da cidade em que pessoas sofreram ferimentos graves ou morte, tendo 70% resultado do atropelamento de peões.

"Muitas passadeiras sem semáforos ou sinalização em ruas em que os carros circulam com demasiada velocidade, tempo de espera muito prolongados para peões, deficiente manutenção, falta de fiscalização do estacionamento em segunda fila e em cima de passadeiras", são alguns dos fatores que, segundo o BE, agravam os riscos para os peões.

Sublinhou que "em três anos de governação de Rui Moreira e Manuel Pizarro, foram mais de 15 mortos, 55 feridos graves e mais de 3.200 feridos ligeiros".

"Em nenhum dos orçamentos e planos de atividades da câmara foi prevista qualquer ação de combate a este flagelo social", acrescentou o candidato.

Na corrida à Câmara do Porto, para as eleições de 01 de outubro, somam-se como candidatos o independente Rui Moreira, apoiado pelo CDS-PP, Manuel Pizarro pelo PS, Ilda Figueiredo pela CDU e o independente Álvaro Almeida, pela coligação PSD/PPM.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon