Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: BE diz que Medina "enganou os lisboetas" no caso da Segunda Circular

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/07/2017 Administrator

O candidato do BE à Câmara de Lisboa, Ricardo Robles, acusou hoje o presidente do município, Fernando Medina, de ter enganado os lisboetas ao suspender o concurso da Segunda Circular, por a auditoria feita não confirmar conflito de interesses.

"Não há nenhum crime, não há nenhuma ilegalidade, não há matéria suficiente para enviar ao Ministério Público -- disse o próprio vereador [das Finanças] ao divulgar este inquérito -- e, portanto, há um embuste e uma máscara que cai de Fernando Medina, e o que se conclui é que Fernando Medina enganou os lisboetas", disse o bloquista à agência Lusa.

Na quinta-feira, o vereador das Finanças da Câmara de Lisboa, João Paulo Saraiva, anunciou à Lusa que a autarquia vai pedir ao Ministério Público para investigar o concurso da Segunda Circular, uma vez que a auditoria interna admite que o projetista poderá ter prejudicado as empresas concorrentes.

Antes, em setembro do ano passado, a Câmara de Lisboa anulou o concurso da Segunda Circular e abriu um inquérito para averiguar eventuais conflitos de interesses, detetados pelo júri do procedimento, por parte de um projetista que também comercializa a mistura betuminosa que iria ser usada no piso.

Sublinhando que o relatório também não é claro quanto ao favorecimento do projetista e quanto à exclusividade do produto, Ricardo Robles considerou que "o calendário eleitoral impôs-se ao bem-estar e à segurança dos lisboetas que utilizam a Segunda Circular".

"Tudo apontava que era necessária, que era preciso fazer aquela obra, que havia questões relacionadas com o pavimento que eram urgentes, com a drenagem, com a iluminação, com as faixas de aceleração e desaceleração, com as paragens de autocarro", assinalou o candidato do BE.

Porém, "quando Fernando Medina percebe que pode ter prejuízos eleitorais ou pode interferir no seu calendário eleitoral, desiste da empreitada, alegando conflito de interesses, que o próprio relatório da Câmara vem concluir, 10 meses depois, que não existe", adiantou.

Ricardo Robles sustentou ainda que "a obra da Segunda Circular era a obra mais importante do mandato de Fernando Medina", num investimento que superava os 10 milhões de euros, razão pela qual o partido achou "muito estranho" o cancelamento da obra.

O BE chegou a propor, na Assembleia Municipal de Lisboa, a criação de uma comissão de inquérito, mas tal estrutura não foi aprovada.

"Passados 10 meses, 63 páginas de inquérito depois, este relatório vem confirmar aquilo que o BE sempre disse", concluiu Ricardo Robles, que também lidera a bancada do BE na Assembleia Municipal.

As eleições autárquicas estão marcadas para 01 de outubro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon