Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: BE, PAN e PS com propostas específicas para comunidade LGBTI de Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/09/2017 Administrator

O candidato do BE à Câmara de Lisboa defendeu hoje a criação de um centro municipal de acolhimento LGBTI na cidade, com Inês Sousa Real, do PAN, a advogar a elaboração de um plano municipal de não discriminação.

"Além do apoio às associações existentes, o município devia ter um centro municipal de acolhimento LGBTI", propôs Ricardo Robles, para quem o apoio à comunidade deve ser uma prioridade no investimento municipal.

O candidato do Bloco de Esquerda falava no debate sobre estratégias de integração e de luta contra a discriminação das pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo (LGBTI), promovido pela Associação ILGA Portugal, na Casa dos Bicos, em Lisboa.

Por seu lado, Inês Sousa Real, a cabeça de lista do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), sugeriu "a criação de um plano municipal de não discriminação", "um maior apoio às associações que trabalham estas temáticas" e "uma formação específica no acolhimento de vítimas de violência".

Na ausência do presidente da Câmara e candidato socialista, Fernando Medina, coube a Pedro Delgado Alves, presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, apresentar as propostas do PS, como a criação de um Plano e um Conselho Municipal de Igualdade.

Com o debate a desviar-se repetidamente para os problemas da habitação e os desequilíbrios existentes na cidade, mas também para as discriminações sentidas pelos utentes LGBTI no Serviço Nacional de Saúde, os candidatos e representantes das candidaturas uniram-se na apologia do direito à diferença.

"Está no nosso ADN a luta pelo direito à escolha de qualquer cidadão", disse Luís Júdice, o cabeça de lista do PCTP/MRPP, enquanto Carlos Teixeira, o candidato independente da coligação PDR e Juntos pelo Povo (JPP), manifestou interesse em aderir à ILGA e garantiu que hoje ganhou uma nova causa para defender.

Presentes no debate, José Eduardo Martins, do PSD, e Ana Rita Bessa, em representação da coligação "Pela Nossa Lisboa" (CDS-PP/MPT/PPM), assumiram que os respetivos programas eleitorais não incluem propostas específicas sobre o tema, mas mostraram-se disponíveis para ouvir.

Já Ana Jara, das listas da CDU, enalteceu a criação do pelouro dos Direitos Sociais pelo atual executivo, mas lamentou que o investimento no combate à discriminação seja escasso.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon