Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas/Beja: 'Dinossauro' João Rocha é aposta da CDU para manter município

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/09/2017 Administrator

Considerado um 'dinossauro' do poder local, João Rocha, que lidera municípios há quase 37 anos, recandidata-se pela CDU para manter a presidência da Câmara de Beja, o antigo 'bastião' comunista do Baixo Alentejo que reconquistou em 2013.

"Recandidato-me a mais um mandato porque fui convidado pelo PCP, há imenso trabalho para fazer em Beja e, com a experiência que tenho, que não é pouca, quero continuar a contribuir para o desenvolvimento do concelho", diz à agência Lusa João Rocha, de 67 anos.

O objetivo é "manter a presidência do município para continuar a estratégia traçada pela CDU para Beja", diz o autarca, que nasceu a 06 de novembro de 1950, na aldeia de Perre, no concelho de Viana do Castelo.

Após quase 37 anos como presidente de câmara, a grande de maioria em Serpa, afirma não estar "nada cansado", ironizando: "Até sou muito novinho na Câmara de Beja, só cá estou há quase quatro anos".

João Rocha cresceu em Perre até concluir a então 4.ª classe, atual 1.º ciclo do ensino básico, quando se mudou para Viana do Castelo, onde viveu até se mudar para a cidade invicta, onde se formou em Engenharia Mecânica de Produção no Instituto Superior de Engenharia do Porto.

Cumpriu o serviço militar na Guiné, onde estava, quando, logo após a revolução de 25 de Abril de 1974, se tornou militante do PCP.

Esteve ligado à União de Sindicatos de Viana do Castelo e tinha "tudo alinhavado" para ir trabalhar para os estaleiros da cidade, mas decidiu concorrer a um miniconcurso para professores: "Concorri para vários sítios, calhou-me Évora e Serpa e escolhi o destino mais longe, Serpa, para onde me mudei em 1976 para dar aulas", conta João Rocha, que é divorciado e tem três filhos.

Foi professor e membro do conselho diretivo da Escola Secundária de Serpa até 1979, quando o PCP o convidou para se candidatar à presidência da câmara, pela Aliança Povo Unido (APU), nas autárquicas daquele ano, as segundas depois do 25 de Abril.

A APU foi uma coligação que juntou PCP, Movimento Democrático Português - Comissão Democrática Eleitoral (MDP/CDE) e o Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV).

João Rocha foi eleito presidente da Câmara de Serpa a 16 de dezembro de 1979. Sempre por coligações lideradas pelo PCP, primeiro a APU e depois a CDU, foi reeleito presidente da Câmara de Serpa nas autárquicas realizadas entre 1982 e 2009.

Em outubro de 2012, quando cumpria o nono mandato consecutivo, suspendeu o cargo de presidente da Câmara de Serpa por razões pessoais e por não se poder recandidatar, devido à lei que, entretanto, entrou em vigor e impõe um limite de três mandatos consecutivos.

Entre 1980 e 2012, em associação ao cargo de autarca de Serpa, João Rocha presidiu a órgãos de várias instituições, como a Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral e a enREDE - Rede Internacional de Municípios pela Cultura.

Nas autárquicas de 2013, foi eleito presidente da Câmara de Beja, pela CDU, reconquistando para os comunistas a simbólica autarquia, depois de quatro anos de gestão socialista.

Entre 1976, quando se realizaram as primeiras eleições autárquicas depois do 25 de Abril, e 2009, quando o PS a conquistou pela primeira vez, a Câmara de Beja sempre foi liderada por coligações encabeçadas pelo PCP.

Desde 2013, em associação ao cargo de presidente da Câmara de Beja, continua a presidir órgãos de várias instituições, como a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo.

Gosta de futebol, quando era miúdo jogou no Sport Clube Vianense, de Viana do Castelo, e "desde pequenino" é sócio e "muito adepto" do Sport Lisboa e Benfica.

Gosta de viajar, especialmente pela América Latina, de ouvir música e de ler, conta, referindo que aprecia escritores latinos, como Gabriel García Márquez, Mario Vargas Llosa e Miguel de Cervantes.

Como autarca, lançou vários projetos culturais em Serpa e Beja e defende que "a cultura deve ser encarada como um investimento e não um custo".

Entre as bandeiras da sua recandidatura, destaca a continuidade da aposta na regeneração do centro histórico de Beja, a criação de uma zona de acolhimento empresarial e de uma ligação viária direta entre a cidade e o bairro do Pelame, além da conclusão das obras de requalificação da rua da Lavoura, da zona envolvente e de um dos acessos à cidade através do Itinerário Principal (IP) 8.

O autarca destaca também que vai continuar a exigir a requalificação do IP8, a eletrificação do troço entre Beja e Casa Branca da linha ferroviária do Alentejo e o desenvolvimento do aeroporto de Beja.

Além de João Rocha (CDU), concorrem à Câmara de Beja Paulo Arsénio (PS), José Pinela Fernandes (PSD), José Pedro Oliveira (BE) e Luís Dargent (CDS-PP).

Nas autárquicas de 2013, a CDU obteve 43,42% dos votos (quatro mandatos), o PS 41,65% (três mandatos), a coligação PSD/CDS-PP 6,21% e o "Por Beja com todos" 4,38%.

A CDU lidera oito dos 14 municípios do distrito de Beja (Alvito, Barrancos, Beja, Cuba, Castro Verde, Moura, Serpa e Vidigueira) e o PS seis (Aljustrel, Almodôvar, Ferreira do Alentejo, Mértola, Odemira e Ourique).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon