Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Campo de Ourique, bairro onde é "agradável viver", mas há problemas de mobilidade - Robles

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

O candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Lisboa, Ricardo Robles, esteve hoje à tarde no bairro de Campo de Ourique, onde é "agradável viver", mas há "muitas dificuldades", nomeadamente no que diz respeito à mobilidade.

"Esta é uma zona da cidade onde é agradável viver. As pessoas com quem falamos gostam do seu bairro, mas têm muitas dificuldades: trânsito, transportes públicos", afirmou aos jornalistas, acrescentando que, além disso, "algumas famílias queixam-se da dificuldade no acesso aos estabelecimentos de ensino, nomeadamente creches".

Uma das pessoas com quem contactou, um trabalhador e não morador do bairro, quis dar-lhe "uma ideia espetacular", mas as sugestões acabaram por ser várias. "A EMEL só devia cobrar estacionamento em avenidas de muito movimento. Havia de haver uma lei que proíba o parqueamento ao pé da linha de elétrico e os parquímetros deviam ser desativados à hora de almoço", disse.

Uma senhora que com ele partilhava a mesa da esplanada do Jardim da Parada aproveitou para se queixar que em Campo de Ourique há "dísticos [de estacionamento] para residentes em 'overbooking'" (lista de espera).

Foi também no Jardim da Parada que Ricardo Robles encontrou Apolinário Mendes, que a 01 de outubro se reforma da vida autárquica, ao fim de 37 anos na junta de freguesia de Campo de Ourique.

Socialista, "desde sempre", disse esperar que o BE tenha "um bom resultado", porque gosta "da linguagem" do partido, que neste mandato, contou, "fazia jogada com o PS" na junta.

Apolinário Mendes quis saber se na comitiva que acompanhava Ricardo Robles estava a deputada Mariana Mortágua, também do BE, que fez questão de cumprimentar.

Além de Mariana Mortágua, estava também André Barata, cabeça de lista à junta de freguesia de Campo de Ourique, que uma professora universitária reformada fez questão de conhecer.

"Põem-me no correio coisas do CDS e do PSD. Já viu a minha cara? Lá tenho cara de quem é de direita", disse, contando que vive "há muitos anos" naquele que considera ser "o melhor bairro de Lisboa".

Talvez devido à hora a que o passeio aconteceu, pelas 16:30, Ricardo Robles contactou sobretudo com reformados que passeavam pelas ruas ou ocupavam os bancos de jardim e as mesas, a conversar ou a jogar às cartas.

De uma senhora ouviu que é "o rapaz mais bonito da campanha". "Desejo que entre para vereador, é bonito demais para presidente", disse a Ricardo Robles, que agradeceu a "gentileza".

Ricardo Robles lamentou ainda que, em Campo de Ourique, tal como noutras zonas de Lisboa, "as maiorias absolutas do PS têm-se esquecido de cumprir o que é mais importante para a cidade, coisas que fazem a diferença na vida das pessoas".

Num bairro onde o Metro não chega, Ricardo Robles recordou que o BE "tem dito a Fernando Medina [presidente da Câmara (PS)] o erro que é existir uma linha circular [de Metro] e esquecer esta zona da cidade".

Nas eleições de 01 de outubro concorrem em Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon