Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Candidato do BE em Gaia preocupado com setor do turismo

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/07/2017 Administrator

O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Vila Nova de Gaia, Renato Soeiro, manifestou hoje preocupações com a evolução do turismo local, defendendo medidas para o regular e para atrair visitantes a áreas concelhias habitualmente menos procuradas.

"Na Câmara, se formos eleitos, seguiremos um princípio muito simples e muito claro: não podemos perder o turismo para a cidade mas também não podemos perder a cidade para o turismo", disse Renato Soeiro, acrescentando que o Bloco "é muito necessário" nas reuniões de executivo camarário porque são lá que "as grandes decisões vão ser tomadas".

O candidato referiu que "há gente que vem de tão longe só para conhecer Vila Nova de Gaia", atribuindo esta escolha ao "grande prestígio" da história ligada ao vinho o Porto, mas exigiu que o concelho não se transformado numa "Vinholandia".

"Corre-se o risco e ver milhares de turistas e lojas de 'souvenires' 'made in China', mas também de ouvir os guias turísticos dizer em várias línguas que aqui foram as caves do vinho Porto. Às vezes ouvimos umas vozes ingénuas que dizem que o turismo nunca matará as cidades. Isso não é verdade", referiu.

Renato Soeiro apontou que "Gaia, no seu conjunto, ainda não está a sofrer a pressão turística asfixiante", referindo-se a freguesias do interior, às quais disse ser "até preciso levar os turistas" de forma a "dinamizaria o comércio local e criar emprego".

"A câmara e as juntas têm de fazer um esforço para os levar até lá", referiu, defendendo a criação de um programa turístico que percorra todo o concelho e a colocação de meios de transporte "baratos ou até gratuitos" na beira-rio e na Serra do Pilar para transportar os turistas a outros pontos do concelho.

"Temos de fazer com que o resto do concelho possa beneficiar a onda de turismo que já está a criar sinais muito preocupantes na ribeira", sintetizou.

O candidato do Bloco de Esquerda descreveu o centro histórico como "uma zona frágil" e "local muito apetecível" que "começou a ser descaracterizada", tendo "já danos evidentes e difíceis de reverter", referindo-se quer ao parque de estacionamento localizado no cais, quer ao supermercado recentemente inaugurado.

"O parque de estacionamento é uma barbaridade total a cortar a vista sobre o rio. E outras coisas esquisitas se passam como a recente colocação de um supermercado 'cash & carry' no sítio onde estava previsto um centro cultural. Nem só de cultura vive o homem. Também precisamos de arroz e batatas na dispensa. Mas se andam sempre a dizer que a beira-rio é a sala de visitas de Gaia, a que propósito foram pôr as prateleiras da dispensa dentro da sala de visitas? Como é que o dono da casa deixou fazer esta aberração?", questionou Renato Soeiro.

O candidato bloquista lembrou que "Gaia não é só as caves do vinho do Porto" e defendeu a criação de um museu que evoque a história ligada à cerâmica e uma maior divulgação dos "grandes nomes da escultura do concelho que têm obras espalhadas pelo país todo".

Nas autárquicas em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, concorrem, para além de Renato Soeiro (Bloco de Esquerda), o atual presidente da câmara, Eduardo Vítor Rodrigues (PS), Cancela Moura (PSD/CDS-PP) e Mário David Soares (PCP/PEV).

As eleições autárquicas estão marcadas para 01 de outubro.

PYT

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon