Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Candidato do movimento "Cidadãos por Coimbra" aponta falhas na recuperação do património

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/09/2017 Administrator

O candidato do movimento "Cidadãos por Coimbra", Gouveia Monteiro, lamentou hoje que, nos últimos anos, a cidade não tivesse avançado na recuperação do edificado histórico incluído na classificação de Coimbra Património da Humanidade.

"Se há uma peritagem da Unesco ou uma discussão séria sobre o trabalho que não foi feito nestes quatro anos dá a ideia que Coimbra preguiçou um bocado à sombra da chancela de património da Humanidade e que se deitou a dormir à sombra dessa chancela", disse Gouveia Monteiro à agência Lusa.

O cabeça de lista do movimento "Cidadãos por Coimbra", antigo vereador da CDU, considera que Coimbra corre o "risco de ter um sério revés se não cuida da Rua da Sofia e das zonas tampão da sua candidatura a Património Mundial da Humanidade".

Para Gouveia Monteiro, é altura de a cidade "acordar agora, antes que outros nos ameacem retirar essa classificação".

"Normalmente, a Unesco não retira a classificação sem mais nem menos, mas vai fazer uma advertência muito forte e só esse facto já deixa mal a nossa cidade", sublinhou.

Segundo o candidato, "é bom que, nos próximos meses, se comecem a tomar medidas para fazer aquilo que ficou por fazer", nomeadamente a reabilitação da Rua da Sofia e da Baixa da cidade.

De acordo com Gouveia Monteiro, de todos os conjuntos de colégios da Rua Sofia apenas foi recuperado e ocupado o Colégio da Graça, com o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e o Centro de Documentação 25 de abril.

"De resto, está tudo por fazer", sublinhou.

A Câmara "deu prioridade a outras coisas, a rotundas, a alcatroamentos vários, a repuxos, mas é altura de se recentrar naquilo que é verdadeiramente decisivo", disse.

Numa visita a uma mostra de artesanato na Baixa de Coimbra, inserida nas Jornadas do Património do concelho, o candidato defendeu mais apoio municipal na formação de jovens que queiram criar oportunidades de negócio e a certificação da tecelagem de Almalaguês, "que está por fazer há muito tempo".

O artesanato, acrescentou, "é outra forma de património muito importante também, que nem sempre está visível, a não ser quando há estas mostras, e, por vezes, tem-se uma visão de emprego e de atividade económica que é só as 'star-ups' que saem das universidades".

"Sem desprimor desse emprego juvenil que é muito qualificado, o artesanato também representa oportunidades de negócio e não está a ser devidamente ajudado, referiu Gouveia Monteiro.

Nas eleições autárquicas de 01 de outubro, são candidatos à Câmara de Coimbra o atual presidente da Câmara, Manuel Machado (PS), Francisco Queirós (CDU), Jorge Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Vítor Ramalho (PNR), Jaime Ramos (PSD/CDS-PP/PPM/MPT), José Manuel Silva (Somos Coimbra) e Vítor Marques (PAN).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon