Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Candidato do PCP a Lisboa quer envolver munícipes nas decisões do orçamento

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

O candidato comunista à Câmara Municipal de Lisboa, João Ferreira, defendeu hoje que os munícipes devem ser chamados a participar na construção do orçamento da cidade, e não apenas na "finíssima fatia" que constitui o Orçamento Participativo.

Durante a apresentação das listas da CDU (Coligação Democrática Unitária) à Câmara e à Assembleia Municipal de Lisboa, que decorreu no Largo Camões, João Ferreira manifestou querer que a capital seja uma cidade "participada, democrática, em que os cidadãos são chamados a participar nas decisões que lhes dizem respeito".

"Anualmente as pessoas são chamadas a decidir, através de SMS (mensagem escrita) o destino a dar a uma finíssima fatia do orçamento da Câmara Municipal de Lisboa", apontou, considerando que o Orçamento Participativo da cidade constitui "uma encenação".

Em declarações à agência Lusa no final da iniciativa, João Ferreira vincou que é então necessário "haver verdadeiros processos de auscultação e participação do conjunto da população da cidade relativamente a todo o orçamento da cidade, e não apenas a essa finíssima fatia".

Para o comunista, os cidadãos deveriam ser chamados a pronunciar-se "relativamente a todas as áreas da vida da cidade que lhes dizem respeito e que afetam o seu dia-a-dia".

"Isso exige uma participação muito mais ampla, muito mais alargada e muito mais efetiva do que temos tido nos últimos anos", afirmou.

Intervindo também na sessão, a cabeça de lista da CDU à Assembleia Municipal, Ana Margarida de Carvalho, defendeu que "Lisboa vale a pena porque é demasiado única".

"Lisboa é uma cidade com tanto passado que não merece um presente desgovernado", salientou, acrescentando que "é preciso e urgente uma cidade diferente".

Para além de João Ferreira, são candidatos à Câmara Municipal o atual vereador Carlos Moura, a arquiteta Ana Jarra, o economista Josué Caldeira ou o membro da Comissão de Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa Paulo Jorge Alves.

Também fazem parte da lista a independente Deolinda Machado, Victor Cavado pelo Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV), ou Filipa Braz, da Juventude Comunista Portuguesa.

Já a lista à Assembleia Municipal inclui nomes como os atuais eleitos António Modesto Navarro e Ana Páscoa (PCP), Cláudia Madeira e Sobreda Antunes (PEV).

Pela camada jovem entrou o estudante Eduardo Lima, e a lista conta também com as independentes Joana Manuel (atriz) e Catarina Beato (escritora).

Na opinião de João Ferreira, estas listas "evidenciam uma assinalável renovação" e combinam "uma forte componente de juventude com a experiência de trabalho autárquico".

"Estas listas confirma que a CDU está pronta e preparada para assumir todas as responsabilidades em Lisboa, incluindo a presidência da Câmara Municipal", afirmou.

O candidato advogou também que as eleições autárquicas, que se disputam a 01 de outubro, irão ditar "a luta pelo direito à cidade", uma vez que esta se tornou "desigual no acesso à sua fruição".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon