Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Candidato do PDR quer que comboio volte a apitar em Bragança

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/09/2017 Administrator

O candidato do Partido Democrático Republicano (PDR) à Câmara de Bragança quer que o comboio volte a apitar na autarquia e que, em vez de ecopistas, se construa ferrovia numa região que perdeu o transporte ferroviário há 25 anos.

Manuel Vitorino falou hoje das propostas que tem para o concelho, numa sessão na sede de campanha, e inclui o comboio nas questões da mobilidade, garantindo que "o preço de uma linha férrea estreita é, mais ou menos, o preço de uma estrada municipal, contrariamente ao que as pessoas pensam".

O candidato do PDR à Câmara de Bragança criticou a opção que tem sido seguida pelos autarcas de construir no canal da antiga linha do Tua, entre Bragança, Macedo de Cavaleiros e Mirandela, uma ecopista, defendendo que "as verbas poderiam ser transferidas para outra aplicação" e ser construída a ferrovia com "o triplo do que se gasta na ecopista".

O advogado e candidato às Autárquicas de 01 de outubro, acredita que "o comboio vai voltar a apitar em Bragança, porque de facto não é desmesurado o preço e a mobilidade de 20 camiões, que levam pelo menos 20 indivíduos a conduzir, trá-la o comboio de uma vez e mais rápido", disse.

"Não sei porque é que há de ser utopia o comboio", afirmou, considerando que "ainda que a moda venha de Bruxelas" e Bruxelas dite a aplicação das verbas, o que deve ditar aquilo que a região precisa "são as necessidades dos cidadãos".

A ideia foi sustentada por João Ortega, um conhecido arquiteto de Bragança ligado ao PS, que apoia o candidato do PDR e citou o trabalho da associação raiana Rionor, de que faz parte, para defender a via férrea.

Como indicou, num raio de 100 quilómetros em volta de Bragança há 800 mil pessoas, o que, considerou, "justifica a necessidade da via férrea".

"E podemos ter uma via estreita a circular a 140 quilómetros/hora, mais do que é permitido na autoestrada", observou.

O candidato, que tem como lema "Mais respeito por Bragança", reiterou que é necessário um poder local com um grau de exigência junto do poder central para exigir compromissos para a região.

Vitorino quer que o cidadão de Bragança tenha acesso à Câmara Municipal e possa dar sugestões e, para o efeito promete, à semelhança do que "há em todas as empresas modernas, colocar uma caixa de recolha de sugestões" nos paços do concelho.

Para analisar as sugestões e orientar nas decisões municipais, o candidato do PDR promete a criação de um "Conselho Consultivo" para o qual pretende convidar os "veteranos" do concelho,"aqueles que, devido à sua experiência, são capazes de ensinar, indicar, de moldar e traçar o caminho".

Manuel Vitorino quer também "criar urgentemente" uma "casa do artista" para valorizar e reunir os artistas locais, desde músicos, a artesãos, artistas plásticos a escritores.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon