Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Candidatos a Oeiras apontam problemas de mobilidade como prioridade

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

O problema da mobilidade e a necessidade da melhoria dos transportes públicos foram os principais temas abordados por alguns candidatos à Câmara de Oeiras, num debate que decorreu hoje de manhã numa escola secundária em Paço de Arcos.

A iniciativa, organizada pela associação de estudantes da Escola Secundária Luís de Freitas Branco, contou apenas com a presença de seis dos 13 candidatos à Câmara de Oeiras (distrito de Lisboa), apesar de todos terem sido convidados.

A candidata da CDU notou que os jovens não são apenas "o futuro", mas "também o presente" do país e do concelho, que "têm necessidades próprias, mas também sofrem ou beneficiam de políticas que são promovidas para toda a população".

Nesse sentido, Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista "Os Verdes", que com o PCP forma a Coligação Democrática Unitária (CDU), apontou a necessidade de se darem "respostas ao nível local para a mitigação de um problema global tramado que são as alterações climáticas".

Para a deputada, é preciso reduzir o "transporte individual", com uma "redução de 50% do passe social para os jovens em toda a Área Metropolitana de Lisboa" nos transportes públicos, e promover a melhoria dos estabelecimentos de ensino no concelho, prioritariamente nos que ainda possuem amianto.

O candidato da coligação PSD/CDS-PP também considerou que "a juventude é transversal" em matéria de política, preconizando ideias para a "sua emancipação", nas áreas da educação, emprego e habitação.

Além de prometer "transporte escolar gratuito", Ângelo Pereira comprometeu-se a melhorar a alimentação das escolas, substituindo o critério no concurso do preço mais baixo pelo da qualidade, contratando "nutricionistas credenciados" para apresentarem "um menu saudável e diversificado".

"Está na hora de vocês terem manuais escolares digitais", advogou a independente Sónia Gonçalves, que quer promover um "concelho inteligente", apostando nas novas tecnologias.

A candidata do movimento Renascer Oeiras 2017 defendeu ainda o "reforço do ensino artístico e desportivo", para que a escola possa apoiar os alunos no desenvolvimento das suas aptidões, nas música e outras artes.

Safaa Dib, candidata do Livre, explicou que o partido quer "criar uma relação de proximidade" com os eleitores, recusando a ideia de que possui "as respostas todas", apostando na mobilidade, cultura e ecologia.

"Mais mobilidade significa criar condições para uma verdadeira rede de transportes públicos moderna e eficiente", afirmou a candidata de origem libanesa, recusando mais urbanizações que se "vão transformar em dormitórios" e defendo "prioridade às indústrias culturais e criativas".

O candidato do PNR, Pedro Perestrello, propôs melhorar a mobilidade, a construção de habitação de rendas baratas para os jovens, crédito à habitação para os mais novos e o aumento da segurança, através de acordos com a PSP.

Já Miguel Pinto, do BE, preconizou melhores condições habitacionais no concelho e "um plano de mobilidade" que reduza os veículos particulares, com aumento do transporte público e percursos pedonais e de bicicleta, mas avisou que não promete "este mundo e o outro", apenas que vai trabalhar para melhorar o município.

Além dos candidatos presentes no debate, a 01 de outubro concorrem ainda o atual presidente, Paulo Vistas (Independentes, Oeiras Mais À Frente), Isaltino Morais (Inovar Oeiras de Volta), Joaquim Raposo (PS), Pedro Torres (PAN), Isabel Sande e Castro (Nós, Cidadãos!), André Madaleno (PTP) e Alda Gameiro (PCTP/MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon