Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Carlos Teixeira propõe redução de taxas para feirantes em Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/09/2017 Administrator

O candidato independente da coligação PDR e Juntos pelo Povo (JPP) à Câmara de Lisboa, Carlos Teixeira, defendeu hoje a redução das taxas para os feirantes e incitou à criação de polos de atração turísticas nos mercados tradicionais.

"Para manter os mercados tradicionais era importante que a Câmara tivesse sensibilidade. Não pesa no orçamento da Câmara reduzir substancialmente as taxas. E, por outro lado, criar polos de atração ao nível do turismo, como se faz noutros países, e levar os turistas a conhecer estes mercados ao ar livre. O Turismo de Portugal podia dinamizar visitas a estes mercados", defendeu em declarações à agência Lusa, depois de se reunir com a Associação de Feirantes de Lisboa.

O cabeça de lista da coligação 'Lisboa Sim' explicou que os feirantes, do Mercado das Galinheiras, da Feira do Relógio e da Feira da Ladra, pagam 50 euros por semana por "um pequeno espaço".

"Chegam a pagar 200 euros por mês. Acaba por ser muito significativo. Por exemplo, no inverno há dias em que as pessoas não aparecem e eles têm de pagar na mesma", elucidou.

Teixeira sublinhou que os feirantes têm grande dificuldade em se afirmar, "atendendo ao facto de os mercados ao ar livre já não atraírem tanta gente como os hipermercados ou as grandes superfícies".

"Na Feira da Ladra, já há poucos feirantes instalados. Eles dizem que são sete ou oito. A Câmara fez redução de preço aos outros mercados, mas a este não. O pensamento deles é que a Câmara se quer ver livre deles para tornar este mercado informal, para não haver locais fixos de venda", revelou.

Considerando que relativamente à Feira da Ladra não há muito a fazer, o candidato independente da coligação PDR e Juntos pelo Povo (JPP) à Câmara de Lisboa comprometeu-se a reduzir as taxas para os feirantes do Mercado das Galinheiras e da Feira do Relógio, na qual detetou outro problema.

"No Mercado das Galinheiras, eles não conseguem estacionar os carros. Foram deslocalizados. Gostam do espaço, mas perderam estacionamento. Ali são 200 feirantes e só têm 100 lugares de estacionamento, pelo que todas as semanas há feirantes a desistir", completou.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon