Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Catarina Martins apela aos lesados do PSD e CDS para que domingo votem BE

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/09/2017 Administrator

A coordenadora bloquista apelou hoje aos lesados do PSD e CDS-PP, assim como aos enganados pelas maiorias absolutas socialistas, para que domingo votem no BE, para que o partido consiga desbloquear soluções nos concelhos como fez no país. No Liceu Pedro Nunes, em Lisboa, num comício ao estilo americano - com uma moldura humana atrás do orador, que discursava de pé - Catarina Martins fez o maior apelo ao voto no BE, naquele que é o penúltimo dia de ...

A coordenadora bloquista apelou hoje aos lesados do PSD e CDS-PP, assim como aos enganados pelas maiorias absolutas socialistas, para que domingo votem no BE, para que o partido consiga desbloquear soluções nos concelhos como fez no país.

No Liceu Pedro Nunes, em Lisboa, num comício ao estilo americano - com uma moldura humana atrás do orador, que discursava de pé - Catarina Martins fez o maior apelo ao voto no BE, naquele que é o penúltimo dia de campanha eleitoral para as autárquicas de domingo.

"Foi a força de quem não se resignou e votou no Bloco de Esquerda em novembro de 2015 que fez a diferença no país. Apelo a todas as pessoas que votaram no Bloco de Esquerda e sabem a diferença que fez que votem nas autárquicas, que não fiquem em casa porque o seu voto é útil e faz toda a diferença", começou por pedir.

Mas depois, a líder do BE foi mais longe e pediu o voto nos candidatos bloquistas de "todos os que foram enganados pela direita", aqueles a que chamou "os lesados de PSD e CDS", que sentem que estes partidos lhes mentiram, mas que veem os progressos no país e "sabem que foi o BE que fez essa diferença".

"E todos aqueles que têm feito as maiorias absolutas do PS aqui em Lisboa e que veem como há promessas que ficam sempre por cumprir, mas que veem com entusiasmo uma situação política nova no país, em que os compromissos não morrem no dia a seguir à campanha, mas são construção quotidiana da política, que votem no Bloco", pediu ainda.

Porque "não há quem não saiba no país como o BE leva a sério os seus compromissos", Catarina Martins foi perentória: "é a força do Bloco que pode desbloquear as soluções em cada concelho como desbloqueou as soluções a nível nacional".

Catarina Martins recordou que, nas legislativas de 2015, "foi a força do Bloco de Esquerda que desbloqueou a situação política em Portugal", considerando que foi o crescimento dos bloquistas "o dado novo que permitiu um acordo para parar o empobrecimento do país".

Depois dos discursos do candidato do BE à Câmara de Lisboa, Ricardo Robles, e da eurodeputada e antiga candidata presidencial, Marisa Matias, a líder do BE deixou um pedido expresso: "que ninguém fique em casa".

"O que nós vemos é que as maiorias absolutas foram tantas vezes paralisia absoluta", recordou.

Para Catarina Martins, "as autarquias em Portugal são tudo menos transparentes" e esta é uma situação que "é preciso mudar".

"O BE nas autarquias é essa garantia exigência de transparência, contra toda a opacidade e todo o clientelismo", prometeu.

A líder do BE relatou que, na rua, lhe dizem "força" e deixou mais um apelo ao voto: "a nossa força é a força que nos der quem for votar no dia 01 de outubro.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon