Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Catarina Martins avisa que ambiente é a grande questão do futuro de Portugal

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/09/2017 Administrator

A coordenadora do BE, Catarina Martins, avisou hoje que os temas ambientais "são as grandes questões do futuro" de Portugal, defendendo que, no caso do Tejo, sejam renegociados os acordos com Espanha para exigir um caudal ecológico do rio.

Foi precisamente a falta de caudal de hoje de manhã que impediu a viagem de barco na aldeia avieira de Caneiras, concelho de Santarém, que o BE agendou esta manhã para alertar para os problemas da pesca tradicional e dos efeitos da poluição no Rio Tejo, a primeira ação do dia da pré-campanha de hoje da caravana bloquista.

"As questões ambientais são as grandes questões do futuro do nosso país e num momento de eleições autárquicas, as escolhas sobre a qualidade ambiental são escolhas que dizem respeito às autarquias", disse aos jornalistas Catarina Martins, depois de falar com pescadores locais sobre os problemas do rio.

De acordo com a líder bloquista, "há três enormes problemas do rio Tejo" que passam pela poluição, a necessidade de renegociar com Espanha caudais ecológicos do Rio Tejo e ainda a falta de perspetiva em cada concelho sobre a própria ligação ao Rio Tejo, considerando que as autarquias "têm sido silenciosas de mais".

Catarina Martins - que estava acompanhada pela candidata do BE à Câmara de Santarém, Filipa Filipe - quer por isso uma "monotorização dos poluidores do Rio Tejo e com isso a aplicação de sanções efetivas", e avisou que, "numa altura em que houve incêndios à volta do Tejo, [é necessário] prevenir que as cinzas venham parar ao Tejo com políticas de contenção dos solos".

"As questões ambientais são as que vão marcar o nosso futuro - quer queiramos quer não - e ou agimos sobre a qualidade ambiental do nosso país e fazemos escolhas para podermos ter desenvolvimento, saúde pública, crescimento económico sustentável ou não fazemos nada e vamos deixar a destruição de setores económicos, da nossa saúde, da qualidade das nossas águas", avisou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon