Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: CDU/Braga acusa presidente de conivência com perseguições nas empresas municipais

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

O candidato da CDU à Câmara de Braga acusa o presidente daquela autarquia, que se recandidata pela coligação ?Juntos por Braga', de "total conivência" com o "clima de medo, repressão e chantagem" que denunciou existir nas empresas municipais.

Na véspera de uma greve dos trabalhadores do universo municipal pela semana laboral de 35 horas, marcada para sexta-feira, Carlos Almeida, no final de um conjunto de contactos com aqueles trabalhadores, considerou ainda que Ricardo Rio "andou muito mal" durante o mandato que agora termina porque teve "muitas oportunidades" para devolver a semana de 35 horas a todos os trabalhadores municipais e optou por não o fazer.

"O clima de medo, repressão, chantagem tem assumido uma proporção absolutamente inaceitável, condenável e que nós precisamos denunciar e por termo", denunciou o candidato e vereador comunista.

Para Carlos Almeida "é inadmissível que nas empresas municipais, nomeadamente na AGERE e na TUB (Transportes Urbanos de Braga), esteja a ser posta em prática uma politica do medo".

O vereador da coligação que junta PCP e PEV garantiu que presidente da autarquia tem conhecimento daquela "política do medo", uma vez que o assunto foi denunciado em reuniões do executivo.

"Isto tem sido feito pelas administrações das empresas municipais com a total conivência do presidente da câmara e da sua maioria porque tem conhecimento destas situações, eu próprio denunciei isto em reunião de câmara, e até hoje nada tem feito para reverter estas situações", salientou.

Segundo exemplificou, a "perseguição aos trabalhadores" consubstancia-se em "empurrar os trabalhadores que estão cedidos a esses empresas pelo município para fora das empresas municipais, chantageando-os, colocando-os sem trabalho, assediando estes trabalhadores de forma a que cheguem a um ponto em que não tem mais condições para exercer as suas funções e se vejam obrigados a regressar ao município depois de anos e anos ao serviço dessas empresas municipais".

Segundo o comunista "a estratégia é uma e é muito clara, esvaziar de facto estas empresas do serviço público, correr com os trabalhadores em serviços público ligados ao município para recorrer a contratação externa de serviços e contratar pessoal com contrato individual de trabalho, sem direitos, com salários mais baixos".

À Câmara Municipal de Braga concorrem a 01 de outubro Carlos Almeida (CDU), Ricardo Rio (Coligação Juntos por Braga - PSD/CDS-PP/PPM), Paula Almeida (BE), Miguel Corais (PS) e Aramando Caldas (Nós Cidadãos!).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon