Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: CDU defende mais abono de família numa Peniche 'fratricida'

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/09/2017 Administrator

O secretário-geral comunista defendeu hoje a necessidade de reposição dos quarto e quinto escalões dos abonos de família em 2018, num jantar-comício autárquico em Peniche, município com um 'dissidente' da CDU na corrida à Câmara Municipal.

Além da ideia de "ir mais longe e aprofundar" a "valorização do abono de família, na sua abrangência e montantes", Jerónimo de Sousa foi um dos vários oradores com alvo definido: o agora candidato independente, apoiado também pelo BE, Henrique Bertino, há mais de um década presidente de junta no concelho, precisamente pela CDU, de comunistas e ecologistas, mas que, desta feita, recusou o convite para a Câmara Municipal de Peniche (CMP).

"Não nos escondemos sob a capa de falsas listas ou projetos 'independentes' que, a coberto de candidaturas de cidadãos eleitores, acolhem, na maioria das situações, arranjos partidários, incluindo sob a forma de 'barriga de aluguer' de partidos sem implantação ou são espaço de promoção de ambições pessoais ou dos interesses dos grupos económicos", disse na Sociedade Filarmónica União 1.º de Dezembro de 1902, em Atouguia da Baleia.

O candidato da CDU ao município nas eleições de 01 de outubro é Rogério Cação, antigo presidente da Assembleia Municipal, após o atual presidente da Câmara Municipal de Peniche (CMP), António José Correia, ter atingido o limite de mandatos consecutivos.

Cação, noutra clara referência a Henrique Bertino, alertou a plateia para ter "cuidado com as imitações" e com o "pechisbeque político".

Concorrem ainda outros quatro candidatos à CMP: Filipe de Matos Sales (PSD), a independente Márcia Henriques, o ex-presidente da câmara Jorge Gonçalves (PS) e João Nuno Santos (CDS-PP).

Depois, abordando as políticas nacionais, o líder comunista, Jerónimo de Sousa sublinhou a a "insistência e proposta do PCP no Orçamento do Estado para 2017" para ser aprovada "a reposição do 4.º escalão do abono de família até aos 36 meses, bem como o estabelecimento de aumentos progressivos dos montantes a atribuir".

"Assim, em Janeiro entraram em vigor os novos montantes do abono de família até aos três anos, que vieram a ser pagos a partir de abril com retroativos. Em julho, realizou-se novo aumento e em 2018 essa trajetória de aumento prosseguirá até que o montante pago até aos 36 meses iguale o valor pago até aos 12 meses - ou seja, até se atingir o valor de 146 euros no 1.º escalão, de 120 euros no 2.º escalão, e de 95 euros no 3.º escalão", descreveu.

Jerónimo de Sousa classificou o sucedido de "caminho positivo", mas reafirmou ser "necessário e possível ir mais longe e aprofundar este caminho de valorização do abono de família, na sua abrangência e montantes", a fim de "assegurar a reposição integral do 4.º e a recuperação do 5.º escalão e garantir o aumento do seu valor para as crianças com idade superior a três anos".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon