Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: CDU destaca trabalho sobre linha ferroviária em Évora

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/09/2017 Administrator

O candidato da CDU à Câmara de Évora destacou hoje o papel da atual gestão comunista do município na contestação ao traçado inicial, junto à cidade, da futura linha ferroviária de mercadorias entre Sines e Caia.

A nova ligação iria passar "por dentro da cidade" e, quando a questão foi detetada, o projeto "estava praticamente decidido", mas a gestão CDU (PCP/PEV) da câmara "levantou o problema" e "denunciou a situação", afirmou Carlos Pinto de Sá.

O cabeça de lista da CDU a Évora, que lidera o município com maioria absoluta, falava à agência Lusa durante uma ação de campanha na freguesia da Senhora da Saúde, onde distribuiu panfletos e cumprimentos.

O traçado inicialmente proposto pela empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP) para a nova linha ferroviária de transporte de mercadorias entre Sines e Caia tem sido contestado, por passar numa zona urbana, na freguesia da Senhora da Saúde.

Perante a posição do município, a IP apresentou três alternativas ao traçado inicial junto a Évora para discussão e realização de um estudo de impacte ambiental.

À porta de um café, no largo principal daquela freguesia urbana da cidade, um popular perguntou ao candidato comunista se "trazem o comboio", tendo Pinto de Sá respondido que o comboio "é importante", mas que o queria "afastado da cidade".

Nas declarações à Lusa, o cabeça de lista da CDU ao município realçou que a Câmara de Évora liderou a oposição feita ao traçado inicial da linha ferroviária proposto pela IP, tendo conseguido "uma posição comum" com as outras forças políticas.

"Foi a câmara que levantou a questão, o assunto estava praticamente decidido. Apresentámos logo uma posição em reunião de câmara, fizemos uma reunião aberta à população na sede da junta de freguesia, com uma enorme participação", lembrou.

Após as diligência do município, sublinhou Carlos Pinto de Sá, "foi despoletado todo o processo de contestação" e "foi a partir da posição do município que, depois, foi alargada a outras forças políticas e movimentos e consensualizada".

"A linha ferroviária tem de se manter em Évora. É estruturante para o país, para o Alentejo e para Évora, mas não pode é afetar a cidade e a sua população", considerou.

Além Carlos Pinto de Sá (CDU), concorrem à Câmara de Évora, nestas eleições autárquicas, Pedro D'Orey Manoel (CDS-PP/MPT/PPM), Elsa Teigão (PS), António Costa da Silva (PSD), Maria Helena Figueiredo (BE) e André Sapage (PAN).

No atual mandato, o executivo municipal é composto por quatro eleitos da CDU, dois do PS e um da coligação PSD/CDS-PP.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon