Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: CDU perde vereador no Funchal e reconhece que não alcançou objetivos na Madeira

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/10/2017 Administrator

O líder da CDU/Madeira, Edgar Silva, disse hoje, no Funchal, que os objetivos da coligação não foram alcançados na região autónoma nas eleições de domingo e reconheceu a dificuldade em apresentar um projeto alternativo ao eleitorado.

"No que diz respeito aos grandes objetivos da CDU, mais votos e mais eleitos, não foram alcançados. Este é um facto que importa objetivamente identificá-lo, reconhecê-lo", afirmou em conferência de imprensa.

Os comunistas perderam o único vereador que detinham há doze anos na Câmara Municipal do Funchal, onde venceu a Coligação Confiança (PS/BE/JPP/PDR/Nós, Cidadão!), e ao nível da região autónoma obtiveram 3.345 votos, num total de 138.592 votantes.

"Houve uma situação de bipolarização política e a CDU teve dificuldade em assumir uma linha de intervenção que quebrasse essa linha bipolar", afirmou Edgar Silva.

O líder comunista salientou, por outro lado, que as eleições de domingo criaram um "novo quadro político" na Madeira, marcado por "novas maiorias absolutas", sobretudo nos três concelhos mais populosos: Funchal (Coligação Confiança), Santa Cruz (JPP) e Câmara de Lobos (PSD).

"Este novo quadro político é exigente e requer uma intervenção política diferente", disse, vincando que isso passará, sobretudo, pelo "dever de intervenção contundente" face aos "abusos" que as maiorias absolutas comportam.

Edgar Silva destacou que agora, mais do que antes, se justifica o "forte exercício" de uma "cultura de contrapoder" no terreno político e nas instituições.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon