Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: CDU quer 5% do saldo positivo da câmara para o desporto popular portuense

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/09/2017 Administrator

A cabeça de lista da CDU à Câmara do Porto, Ilda Figueiredo, afirmou hoje que "5% do saldo positivo dos 66 milhões de euros" da autarquia bastariam para resolver os problemas do desporto popular na cidade.

Em declarações no âmbito da visita ao bairro de São Tomé, na freguesia de Paranhos, a candidata aproveitou a presença num recinto polidesportivo municipal ao abandono, para denunciar a falta de investimento da autarquia.

"A câmara não só não tem um pelouro do desporto e do associativismo como, por outro lado, não incentiva a prática do desporto, não apoia os clubes populares, o que levou a que alguns tivessem de deixar a sua atividade", acusou Ilda Figueiredo.

Apresentando como razões para o abandono o facto de terem de "pagar a utilização dos escassos espaços desportivos existentes na cidade" e, noutros casos, a obrigatoriedade de "treinar e jogar em municípios vizinhos", apontou ainda a "falta de apoio técnico e financeiro" da câmara.

"Houve uma diminuição muito séria da prática do desporto popular. É necessário recuperar os equipamentos desportivos que existem, que são poucos mas que, mesmo assim, estão ao abandono", sinalizou a cabeça de lista.

Conhecedora das contas da Câmara do Porto, Ilda Figueiredo lembrou que "na última conta de gerência", divulgada este ano, "houve um saldo positivo de 66 milhões de euros", argumentando ser possível "com 5% desse saldo positivo, assim haja vontade política para avançar", fazer o que propõe a CDU.

Artur Ribeiro, eleito da CDU na Assembleia Municipal, complementou a informação sobre a conta bancária da autarquia informando que, em 2015, "o saldo foi positivo em 50 milhões de euros e no anterior de 44,5 milhões de euros".

"Além deste valor havia ainda 12,5 milhões de euros de cobrança liquidada, mas que não estava paga", salientou o deputado municipal, sustentando ainda que a autarquia tem uma "capacidade de endividamento de mais de 20 milhões de euros".

Ilda Figueiredo insistiu numa alteração de políticas que permitisse, por exemplo, "a reversão do negócio que entregou o pavilhão Rosa Mota ao privado, recuperando-o para o serviço público", num conjunto de investimentos que abrangeria ainda "a construção de mais pavilhões e piscinas".

São candidatos à Câmara do Porto o independente Rui Moreira, apoiado pelo CDS-PP e MPT, o socialista Manuel Pizarro, Álvaro Almeida, pela coligação PSD/PPM, Ilda Figueiredo, da CDU, João Teixeira Lopes, do BE, Bebiana Cunha, do PAN, Costa Pereira, do PTP, Sandra Martins, do PNR e Orlando Cruz, do PPV/CDC.

As eleições autárquicas estão marcadas para 01 de outubro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon