Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Costa Pereira (PTP) lamenta Porto "aniquilado pelo centralismo" de Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/10/2017 Administrator

O candidato do PTP à Câmara do Porto, Costa Pereira, expressou hoje a sua indignação por ver a cidade "aniquilada" e transformada numa "província do centralismo" de Lisboa.

Em comunicado enviado aos jornalistas, o candidato independente que encabeçou a lista do Partido Trabalhista Português começou por congratular Rui Moreira pela vitória nas eleições, sublinhando o "início de uma nova era", antes de abordar aquilo que considera ser o tratamento injusto por parte da comunicação social.

"Temos que dizer que estas eleições vieram confirmar que em Portugal tudo parece estar manipulado. Os nove candidatos ao Porto não tiveram o mesmo tratamento feito por alguns Órgãos de Comunicação Social. Em Democracia isto não é possível acontecer, onde só por 3 vezes os nove puderam estar juntos", afirmou, acrescentando que "os tripeiros continuam a não votar, pois não têm informação".

O candidato que ficou em último de nove lugares, com 166 votos, explicou que "o Porto perdeu a sua alma de cidade para uma estância turística", complementando esta ideia ao dizer que a cidade "vai desaparecer como Invicta e vai passar a ser Oporto City", antes de voltar a insistir na "falta de informação".

"A falta de informação muitas das vezes era apontada, pois sabiam quem ele era, que votavam nele nas não sabiam qual era o Partido. Também era interessante que a foto do Candidato viesse no boletim de voto. Assim havia mais justiça. Isto é como no futebol, há 3 Grandes e o resto é para encher, isto tem de mudar. Referendo para o Porto é o passo seguinte, não para nos separarmos, mas para que se descentralize serviços e haver justiça nas Eleições", contou.

Costa Pereira disse ainda que "estas eleições tiveram candidatos muito fracos", que foram os que ganharam, porque segundo indica "têm a máquina a trabalhar para eles", antes de voltar a virar atenções para a "alguma imprensa que não passa a informação".

"Mais uma vez, 100 000 [pessoas] não votaram, assim não vamos lá. Assim vai um Porto e um Norte que podia ter mais qualidade de vida e tudo vai continuar na mesma. Nem tudo está mal no Porto, mas podia e devia estar bem melhor, mas quem manda no Centralismo não deixa. Os pobres, reformados e carenciados é que sofrem", finalizou.

Foram candidatos à Câmara do Porto o independente Rui Moreira (atual presidente), apoiado pelo CDS-PP e MPT, o socialista Manuel Pizarro, Álvaro Almeida, pela coligação PSD/PPM, Ilda Figueiredo, da CDU, João Teixeira Lopes, do BE, Bebiana Cunha, do PAN, Costa Pereira, do PTP, Sandra Martins, do PNR, e Orlando Cruz, do PPV/CDC.

.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon