Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: distrital do PSD/Viana do Castelo dá como encerrado caso das duas listas

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/09/2017 Administrator

O presidente da distrital do PSD de Viana do Castelo, Carlos Morais Vieira, deu hoje o caso das duas listas do PSD apresentadas à Assembleia Municipal como "encerrado", sublinhando que a "verdade é só uma e venceu".

"A verdade é só uma e venceu. Venceu em todos os tribunais e cumpriu os estatutos do PSD e do acórdão do Conselho de Jurisdição Nacional", referiu em comunicado enviado à Lusa.

O PSD de Viana do Castelo apresentou duas listas de candidatos à Assembleia Municipal daquele concelho para as eleições autárquicas.

Uma das listas, apresentada pelo candidato do partido à Câmara de Viana do Castelo, homologada pelos órgãos nacionais e aprovada pela comissão política distrital, é encabeçada por Eduardo Viana, ex-secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade do anterior governo PSD/CDS-PP e atual deputado municipal.

A outra é liderada pelo presidente da comissão política concelhia e atual vereador na Câmara de Viana do Castelo e ex-deputado na Assembleia da República, Eduardo Teixeira.

O Tribunal de Viana do Castelo rejeitou a lista à Assembleia Municipal apresentada e liderada pelo presidente da concelhia do PSD, Eduardo Teixeira, por "irregularidade insuprível". Também o Tribunal Constitucional "negou provimento" ao recurso.

Com aquela decisão ficou validada a lista à Assembleia Municipal encabeçada por Eduardo Viana.

Carlos Morais Vieira salientou que a "verdade venceu com paciência, dignidade, ética, equilíbrio, bom senso e respeito pelas decisões legítimas dos órgãos do partido, tanto em termos nacionais como distritais".

"Lamentamos a hipocrisia e a leviandade da forma como o presidente da concelhia e de toda a Comissão Política de Secção geriu este processo", sustentou.

O social-democrata anunciou que o Tribunal Constitucional negou provimento ao recurso interposto pela candidatura à Assembleia Municipal apresentada pelo vice-presidente da concelhia por não cumprir o que estava "determinado".

Além disso, Carlos Morais Vieira frisou que não cumpria o acórdão do conselho de jurisdição nacional, nem os estatutos do partido, dando esta questão por encerrada.

Contudo, o presidente da distrital revelou que irá discutir internamente os meios legais e estatutários a conduta deste grupo de militantes.

"Quem tem de se rever pelos comportamentos ilegais, abusivos e sem ética é a comissão política de secção - e o seu presidente - por provocar dano irreparável na boa imagem e no bom funcionamento (que qualquer partido tem nos seus procedimentos normais e habituais), interpretando a seu belo prazer (e consoante o jeito e conveniência): estatutos, decisões, posturas e a vontade do partido", disse na nota.

O social-democrata acrescentou que na "política não vale tudo" e que a Distrital do PSD tem sido "achincalhada e menorizada" pela Concelhia e pelo seu presidente, pondo em causa a "honorabilidade e credibilidade dos órgãos nacionais, do secretário-geral do PSD e dos órgãos distritais".

"Convém lembrar que o candidato à Câmara Municipal de Viana do Castelo foi escolhido pela Comissão Política Distrital e sufragado por unanimidade e aclamação na Comissão Política Distrital e homologado, de pronto, pela Comissão Política Nacional", lembrou.

A Lusa tentou ouvir o presidente da concelhia, mas não foi possível até ao momento.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon