Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Ex-secretário-geral do PSD Ribau Esteves diz que partido tem "uma doença"

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/10/2017 Administrator

O ex-secretário-geral do PSD Ribau Esteves disse hoje que o problema do partido não se resume à discussão sobre a liderança, considerando que o PSD "tem de se repensar, da sua base até ao seu topo".

"É muito importante que, neste momento tão difícil da vida do PSD, se fale a verdade e com profundidade e não se reduza a discussão à saída ou não do Pedro Passos Coelho e a quem deve ser o seu sucessor. É o partido que tem uma doença", disse à Lusa Ribau Esteves.

O social-democrata, que foi reeleito no domingo para um segundo mandato como presidente da Câmara de Aveiro, mostrou-se surpreendido com o resultado alcançado pelo PSD a nível nacional.

"Pensei que o PSD perdesse, mas que recuperasse uma parte da diferença para o PS. Mas a verdade é que essa diferença agravou-se e o nosso resultado ainda foi pior do que há quatro anos", disse o autarca, que foi secretário-geral do PSD na liderança de Luis Filipe Menezes.

Ribau Esteves diz que houve erros "muito graves" ao nível das estruturas locais do partido, dando como exemplos as derrotas que o PSD teve no distrito de Aveiro, onde perdeu três câmaras.

"O que aconteceu em Oliveira do Bairro, Oliveira de Azeméis ou São João da Madeira não é culpa de Passos Coelho. É evidente que ele, como líder do partido, é o primeiro responsável, mas há erros muito graves a nível concelhio e das distritais", disse.

O antigo secretário-geral do PSD, que já anunciou que irá fazer uma intervenção no Conselho Nacional do PSD, marcado para terça-feira, considera que o partido, no seu todo, "tem que se repensar".

"Eu ando a dizer isto há muito tempo. É preciso que o PSD pare para pensar em si próprio", afirmou.

Passos Coelho reiterou no domingo que não se iria demitir na sequência de resultados de eleições locais, mas prometeu uma "reflexão ponderada" sobre se irá ou não recandidatar-se ao cargo nas diretas previstas para o início do próximo ano.

No final de uma reunião com o Presidente da República, hoje à tarde (na qual disse que o tema das autárquicas não foi abordado), Passos foi questionado sobre as conclusões dessa reflexão, mas considerou a questão "prematura em termos de resposta", apontando que na terça-feira será feita "uma avaliação com mais detalhe dos resultados das eleições autárquicas", nos órgãos de direção política do PSD e em Conselho Nacional.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon