Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Independente Humberto Correia é o candidato "do Amor" à Câmara de Faro

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/09/2017 Administrator

O independente Humberto Correia, de 56 anos, vai candidatar-se à liderança do município de Faro pelo movimento "Campanha do Amor", por si criado há um ano e meio para concorrer às próximas eleições autárquicas.

Em declarações à Lusa, Humberto Correia assumiu como prioridades a reabilitação do património edificado devoluto da cidade, a arborização e criação de espaços verdes, assim como a manutenção dos já existentes, e ainda a defesa dos direitos dos trabalhadores.

O candidato, natural do Algarve e ex-emigrante em França, onde viveu 27 anos, dedicou-se nos últimos 14 anos à pintura, atividade que desenvolvia na baixa da capital algarvia, tendo pintado centenas de quadros a retratar a cidade.

Humberto Correia considera que Faro "tem um potencial turístico que não está a ser totalmente explorado" e propõe fazer da cidade o "destino do amor", sendo o seu slogan de campanha "Com Humberto presidente, haverá amor para toda a gente".

A criação de um passe do trabalhador, no valor mensal de 25 euros, para os munícipes se poderem deslocar na rede de transportes do concelho, e mais habitação social são outras das linhas mestras da sua candidatura.

Esta é a primeira vez que Humberto Correia se candidata a um cargo político, apresentando apenas uma lista à Câmara Municipal de Faro, não havendo candidatos do seu movimento à Assembleia Municipal ou às juntas de freguesia.

Durante os últimos seis meses, o candidato recolheu assinaturas para a sua candidatura à porta do Mercado Municipal de Faro.

Humberto Correia tem como adversários na corrida à presidência autárquica Rogério Bacalhau, atual presidente e que se recandidata pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM, António Eusébio (PS), Paulo Baptista (PAN), António Mendonça (CDU) e Eugénia Taveira (BE).

Em 2013, o PSD obteve quatro dos nove mandatos em disputa, o PS ficou com outros quatro, enquanto a CDU conquistou um mandato.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon