Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Independente Paulo Vistas alertou que reativar o SATU em Oeiras é criar "buraco sem fundo"

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/09/2017 Administrator

O recandidato independente à Câmara de Oeiras Paulo Vistas considerou hoje, em Porto Salvo, que o SATU (Sistema Automático de Transporte Urbano) está "encerrado" e que a sua eventual reativação criaria um buraco financeiro "sem fundo".

"A empresa já foi dissolvida e liquidada, já não existe SATU. O que existe neste momento é uma infraestrutura, que tem que ter um destino, seja a demolição, seja outro qualquer", afirmou à Lusa o presidente da autarquia.

Paulo Vistas, que participou numa ação de campanha no bairro de autoconstrução de Porto Salvo, acompanhado pelo cabeça de lista à freguesia, André Rica, notou que o SATU dava "um prejuízo de oito milhões" de euros por ano.

"Esse problema está estancado, está resolvido, o parceiro privado assumiu todo montante, os 46 milhões, depois de negociações difíceis, até porque a câmara tinha cerca de 50% do capital social da empresa", explicou o autarca.

O candidato do movimento Independentes Oeiras Mais à Frente (IOMAF) admitiu a necessidade de criar um sistema de transporte na ligação das duas linhas férreas de Sintra e de Cascais, entre Paço de Arcos e o Cacém.

"Agora tem é de ser num sistema de transporte, sim senhor, de mobilidade suave, ecológico, mas com outra capacidade, com outra dimensão e com outro serviço", defendeu Paulo Vistas.

O antigo vice-presidente de Isaltino Morais alertou que, "quem no futuro quiser vir a insistir em reativar aquele sistema de transporte vai deixar uma herança muito pesada às gerações futuras, porque vai ser um buraco [financeiro] sem fundo".

O SATU foi inaugurado em 2004, mas as carruagens suspensas nunca foram além do Oeiras Parque, em apenas 1.200 metros desde Paço de Arcos.

Paulo Vistas distribuiu pelo bairro de Porto Salvo folhetos com o seu programa, mas também 't-shirts', canetas, lápis e "velinhas", em forma de coração.

A um morador que justificou não votar, em protesto contra "o sistema", o autarca argumentou com o dever cívico depois da luta das anteriores gerações para se poder votar em democracia.

Paulo Vistas lamentou ainda a queixa de Isaltino Morais contra o apelo ao voto da Câmara de Oeiras.

A Comissão Nacional de Eleições deliberou que a autarquia tem de retirar os 'outdoors', mas Paulo Vistas adiantou que "faz sentido recorrer" da decisão, "até porque aquela informação institucional é meritória".

Nas eleições para a Câmara de Oeiras apresentam-se 13 candidaturas, de Paulo Vistas (IOMAF), Isaltino Morais (Inovar Oeiras de Volta), Sónia Gonçalves (Renascer Oeiras 2017), Joaquim Raposo (PS), Ângelo Pereira (PSD/CDS-PP/PPM), Heloísa Apolónia (CDU), Miguel Pinto (BE), Pedro Torres (PAN), Safaa Dib (Livre), Isabel Sande e Castro (Nós, Cidadãos!), Pedro Perestrello (PNR), André Madaleno (PTP) e Alda Gameiro (PCTP/MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon