Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Jaime Ramos quer arte urbana em edifícios devolutos de Coimbra

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/09/2017 Administrator

O candidato da coligação Mais Coimbra, Jaime Ramos, defendeu hoje a promoção da arte urbana em edifícios devolutos ou que esperam reabilitação em Coimbra e prometeu combater com abandono a que a cidade está votada. "Nós temos de acabar com a ideia de abandono na cidade. A Câmara tem de colaborar com os proprietários na reabilitação mas também, quando isto acontece, em iniciativas de arte urbana que transformem Coimbra numa cidade mais atraente, ...

O candidato da coligação Mais Coimbra, Jaime Ramos, defendeu hoje a promoção da arte urbana em edifícios devolutos ou que esperam reabilitação em Coimbra e prometeu combater com abandono a que a cidade está votada.

"Nós temos de acabar com a ideia de abandono na cidade. A Câmara tem de colaborar com os proprietários na reabilitação mas também, quando isto acontece, em iniciativas de arte urbana que transformem Coimbra numa cidade mais atraente, mais jovem, no fundo mais sedutora. Utilizar a arte urbana em alguns casos destes, quando demora a reabilitação, é sempre importante", disse hoje Jaime Ramos à agência Lusa.

A candidatura Mais Coimbra (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) promoveu hoje um circuito a pé desde a zona alta de Coimbra, junto à escola secundária José Falcão, passando pelos Arcos do Jardim e avenida Sá da Bandeira até à rua da Sofia, na baixa da cidade. Jaime Ramos entrou em cafés e lojas de comércio e, na Praça da República, foi interpelado por um homem que defendeu que o candidato fizesse "pressão" junto do Governo para baixar o IVA para os estudantes.

"É indecente que paguem 23% quando não o podem deduzir em lado nenhum. Coimbra vive à custa dos estudantes", afirmou o homem, tendo Jaime Ramos respondido que o "grande problema" é o município "não ter empresas e não ter emprego" para os mais jovens.

"Coimbra tem de ter uma Câmara com muito menos burocracia, muito mais capaz de trabalhar com os investidores para que eles venham para Coimbra. E que toda esta gente que estuda aqui, na Universidade e Politécnico, tenha oportunidade de poder ficar em Coimbra (...) Pelo menos os que são de Coimbra ou da região, deviam ter oportunidades profissionais adequadas e bem remuneradas para poderem cá continuar, sem terem de migrar para Lisboa, Porto ou para o estrangeiro", argumentou.

Já sobre a escola secundária José Falcão, que espera obras de reabilitação, Jaime Ramos frisou que a situação denota a falta de peso político da autarquia liderada pelo PS.

"É inaceitável que a Câmara de Coimbra não tenha tido o peso político suficiente para obrigar o Governo a reabilitar a escola", disse Jaime Ramos.

O percurso terminou na rua da Sofia, onde existe um conjunto histórico e monumental classificado desde 2010 - com a Universidade e a Alta de Coimbra - como Património Mundial da UNESCO.

O candidato da coligação Mais Coimbra alegou que, após a aprovação da candidatura, esta "esvaziou-se e não se trabalhou" na sua promoção, alegando que a rua da Sofia "não foi reabilitada, as ruas continuam da mesma forma, com a diferença que tem fechado comércio e cada vez há menos negócio e menos pessoas a circular", para além de três igrejas "fechadas".

"Uma Câmara sozinha não pode fazer tudo. Mas pode ser, de alguma maneira, um veículo de agitação da sociedade, o que falta à cidade é um bocado de ambição", declarou.

Nas eleições autárquicas de 01 de outubro, são candidatos à Câmara de Coimbra o atual presidente, Manuel Machado (PS), Francisco Queirós (CDU), Jorge Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Vítor Ramalho (PNR), Jaime Ramos (PSD/CDS-PP/PPM/MPT), José Manuel Silva (Somos Coimbra) e Vítor Marques (PAN).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon