Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Joana Amaral Dias critica diabolização do automobolista em Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/09/2017 Administrator

A candidata do partido Nós, Cidadãos! à presidência da Câmara de Lisboa criticou hoje a 'diabolização' dos automobilistas, movida por Fernando Medina, e defendeu a discriminação positiva dos comerciantes, numa arruada na Penha de França.

"Temos falado com muita gente e o que aconteceu foi que os utilizadores de automóveis, os automobilistas foram diabolizados. Agora são todos uns demónios. Ninguém pode usar o carro, mas as pessoas precisam de usar o carro em muitas circunstâncias", argumentou Joana Amaral Dias, em conversa com o proprietário do café Calunga, na Rua Morais Soares.

Despachada, talvez para compensar o atraso do início da arruada na Praça Paiva Couceiro -- estava marcado para as 18:00, mas só arrancou às 19:00 -, a cabeça de lista do Nós, Cidadãos! apressou-se a entregar panfletos entre os idosos que se entretinham a jogar cartas e entre aqueles que escolheram as esplanadas dos cafés que circundam o local para iniciarem o fim de semana.

Quando empreendeu a descida da Morais Soares, Joana Amaral Dias animou-se e distribuiu apertos de mãos, respondendo com um "eu preciso dessa sorte toda" a quem lhe desejou felicidades para as eleições autárquicas de 01 de outubro.

Depois, escoltada por Luís Matias, candidato do Nós, Cidadãos! à Junta de Freguesia da Penha de França, entrou na Pastelaria Nilde, onde se perdeu numa conversa sobre Mirandela e tentou trocar um panfleto por uma alheira. Contudo, foi uns metros mais adiante que entrou verdadeiramente em campanha, expondo uma das bandeiras do seu partido.

"As pessoas que usam o automóvel sentem-se perseguidas. Não são só os senhores. É preciso encontrar soluções em que não tenha de pagar 300 euros por um veículo [no caso dos comerciantes]. Os comerciantes têm de ter discriminação positiva. Nós queremos pessoas a trabalhar em Lisboa, queremos dinamização da economia da cidade. Não queremos comerciantes que se veem à rasca para abrir um estabelecimento", disse, prometendo bater-se para alterar essa injustiça.

Joana Amaral Dias acredita que o Nós, Cidadãos! tem de ganhar a opinião pública para esta causa e força política. "As pessoas estão muito zangadas. Isto não é mudado porque não há vontade política", criticou.

A arruada prosseguiu rua abaixo, até à Alameda, com a candidata à autarquia a receber, com bom humor, as 'negas' daqueles que rejeitaram os seus panfletos. "Aposto que este era do Bloco de Esquerda", disparou, antes de encontrar um senhor que lhe garantiu gostar mais de vermelho do que de amarelo.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon