Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Líder do PS/Açores diz que meta para as eleições foi ultrapassada

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/10/2017 Administrator

O líder do PS/Açores afirmou hoje que a meta fixada pelo partido para as eleições autárquicas de domingo foi ultrapassada e anunciou a reativação da Associação Socialista de Autarcas Açorianos, para melhor coordenar e apoiar os autarcas.

"O PS tinha fixado como meta ter mais votos, mais mandatos nas assembleias de freguesia e juntas de freguesia, nas assembleias municipais e nas câmaras municipais do que o segundo partido mais votado. Aquilo que é possível constatar é que essa meta foi ultrapassada e foi ultrapassada em larga medida com votações expressivas em várias câmaras municipais, com vitórias em processos de transição de presidências e de candidatos a presidências de câmara", disse Vasco Cordeiro.

O dirigente socialista falava aos jornalistas à margem da reunião do Secretariado Regional do PS/Açores, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, para analisar os resultados das eleições autárquica, reconhecendo o facto de o partido ter perdido o município do Nordeste.

Vasco Cordeiro adiantou que o secretariado aprovou um voto de saudação aos autarcas do PS que terminam agora o mandato e outro àqueles que vão iniciar o mandato.

Confrontado com as situações nos municípios da Horta e em Ponta Delgada (no primeiro o PS ganhou de novo a câmara, mas o PSD tem a maioria na assembleia municipal; no segundo a câmara manteve-se PSD e a assembleia passou para as mãos do PS), Vasco Cordeiro reconheceu que este é um quadro que "exige um grande esforço de diálogo, de concertação".

"O PS, independentemente de estar com responsabilidades de governação ou na oposição, tem praticado e exerce" esse quadro, salientou, para acrescentar que, no caso de Ponta Delgada, o maior município do arquipélago, "o PS, apesar de não ter tido sucesso na candidatura à câmara", esta foi a "vitória mais frágil e mais magra do PSD ao nível das câmaras municipais e isso tem também um significado político".

Confrontado com a decisão de o líder nacional do PSD, Pedro Passos Coelho, não se recandidatar à presidência do partido, o líder do PS/Açores considerou que "resulta em grande medida daqueles que são os resultados eleitorais que se traduziram numa grande vitória do PS, também a nível nacional", e "numa rejeição daquelas que foram, desde logo, as candidaturas apresentadas pelo PSD".

"É natural que possa ter também esse efeito", declarou Vasco Cordeiro que à pergunta se este exemplo deveria ser seguido pelo líder regional do PSD, Duarte Freitas, escusou a pronunciar-se: "Há uma determinada leitura dos resultados, o dr. Pedro Passos Coelho fez essa leitura dos resultados, cada um fará a sua".

O PS continua a dominar nos Açores, ao conquistar 12 das 19 câmaras da região no último domingo.

Os socialistas perderam Nordeste (São Miguel), mas nesta ilha continuam a liderar os municípios de Vila Franca do Campo, Lagoa e Povoação.

No Pico, os municípios das Lajes e São Roque mantêm-se do PS, assim como Santa Cruz das Flores e Lajes das Flores, Corvo e Santa Cruz da Graciosa.

Os socialistas garantiram também as câmaras de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória (Terceira), e Horta (Faial).

Já o PSD juntou com estas eleições Nordeste às câmaras que já detinha há quatro anos: Ponta Delgada e Ribeira Grande (São Miguel), Madalena (Pico) e Vila do Porto (Santa Maria).

Luís Silveira segurou para o CDS-PP a Câmara das Velas, na ilha de São Jorge, e na Calheta, na mesma ilha, ganhou de novo o movimento de independentes "Dar Vida ao Concelho", liderado por Décio Pereira, que tinha o apoio do PS.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon