Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas/Lisboa: Candidato do PTP, Amândio Madaleno, considera-se a melhor opção para Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/09/2017 Administrator

O cabeça de lista do Partido Trabalhista Português (PTP) à presidência da Câmara Municipal de Lisboa (CML) considera-se a melhor opção para conduzir os destinos da capital nos próximos quatro anos, apontando críticas aos seus opositores na corrida eleitoral.

Em declarações à agência Lusa, Amândio Madaleno disse que "não pode haver só a geringonça e a direita, tem de haver alternativas".

Nessa senda, considerou que "nenhum dos outros [11 candidatos] tem perfil, nem merece ser presidente da Câmara Municipal de Lisboa".

Na opinião do cabeça de lista do PTP, o candidato do PS e atual líder do executivo "dava um bom presidente de uma empresa de turismo, porque está muito preocupado com receitas, 'rankings' e bons resultados", mas "não vai a bairros sociais".

Já Assunção Cristas, cabeça de lista à presidência da CML pelo CDS-PP, "só faz contradições e não consegue esconder o que de mal fez quando tinha a tutela da habitação" no anterior Governo PSD/CDS-PP.

Por seu turno, a candidata do PSD, Teresa Leal Coelho, "não é uma líder", mas sim "a substituta de Pedro Santana Lopes".

Quanto a Ricardo Robles (BE), Amândio Madaleno considera que "é muito novo" e João Ferreira (CDU) "é muito simples".

Sobre o também eurodeputado comunista, Madaleno defendeu que "é um jovem competente, mas que fugiu para o Parlamento Europeu. Foi fazer um favor ao Partido Comunista".

Apontando que a sua "experiência é diferente", Amândio Madaleno referiu que "já tem dado provas na intervenção associativa" juntos dos "moradores dos bairros sociais e junto dos pobres e maltratados".

Foi o próprio que confirmou à agência Lusa que iria concorrer de novo à presidência da CML, depois de já ter concorrido em 2013.

No início de setembro Madaleno avançou que, a par da lista à Câmara, o PTP apresenta candidatos à Assembleia Municipal e às Juntas de Freguesia de Marvila e dos Olivais.

A campanha dos trabalhistas irá focar-se principalmente no tema da habitação, pois as "rendas têm de estar adequadas ao rendimento do agregado familiar".

"A Câmara de Lisboa não pode tapar os olhos a este flagelo", vincou.

Na opinião do cabeça de lista, "a Câmara pode e deve intervir nesta questão porque tem poder sobre o património existente na área geográfica" do concelho e "pode exercer o direito de preferência" sobre os imóveis à venda, o que "terá um impacto na especulação".

Amândio Madaleno, presidente do partido desde a sua constituição, em 2009, foi candidato pelo PTP à presidência da Câmara da capital nas autárquicas de 2013, escrutínio no qual o partido conseguiu 3.172 votos (0,37%).

O advogado de 56 anos, nascido no Fundão, chegou à vida política há mais de três décadas, eleito pelo PSD, tendo entrado também na corrida para as legislativas.

Nas últimas eleições legislativas, disputadas em 2015, o PTP integrou a coligação Agir, encabeçada em Lisboa por Joana Amaral Dias, que nestas autárquicas também concorre à presidência da Câmara de Lisboa pelo partido Nós, Cidadãos!.

Nas próximas eleições autárquicas, marcadas para 01 de outubro, concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (independente apoiado pelo PDR e JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon