Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Marietta Drumond é a candidata do CDS-PP à Câmara de Machico

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/09/2017 Administrator

Uma administrativa de 35 anos dos quadros do CDS-PP/Madeira, Marietta Drumond, é a candidata dos centristas à presidência da Câmara Municipal de Machico nas eleições autárquicas de 01 de outubro.

"Colocar Machico em primeiro lugar sempre" é um dos objetivos desta candidatura encabeçada por Marietta Drumond, que foi dirigente da Juventude Popular e, presentemente, faz parte da comissão política regional do partido e do conselho nacional e é vice-presidente da comissão política concelhia deste município no extremo leste da ilha da Madeira.

Durante muitos anos, Machico, juntamente com a ilha do Porto Santo, foi um dos dois municípios da Madeira em que ao longo dos anos se registou uma alternância política, tendo sido governado pela UDP, PSD e PS.

Mas, para a cabeça de lista centrista, "nem sempre os resultados foram os melhores" neste cenário, devido às dificuldades verificadas no relacionamento entre os responsáveis municipais e o Governo Regional.

Por isso, Marietta Drumond defende que o eleitorado machiquense deve experimentar "uma terceira via" de governação no concelho, dando como "bom exemplo" os resultados obtidos neste último mandato no município de Santana, na costa norte da ilha da Madeira, que é o único nas mãos do CDS-PP no arquipélago.

"Deve haver uma terceira via para a governação da câmara, sem maiorias absolutas", sublinhou, argumentando que "o poder absoluto governa ao seu bel-prazer".

No seu entender, há também um "défice de comunicação" entre os executivos camarário e regional.

A cabeça de lista destaca que Machico "tem valor próprio" do ponto de vista cultural, social e patrimonial e realça que apresenta "uma equipa jovem" que vai apostar no diálogo com as pessoas, fazendo uma campanha porta a porta, por rejeitar que "se gastem milhões em tempo de crise" neste tipo de ações.

Quanto aos seus principais projetos, aponta a necessidade de aumentar os apoios às juntas de freguesia, o problema da redução da dívida da câmara e a necessidade de dar condições de investimento para garantir receitas e mais emprego, como forma de evitar que o concelho continue a perder jovens para a emigração.

A revitalização do comércio, através de incentivos fiscais, um "plano inovador" de atividades de caráter cultural, social e desportivo, a necessidade de recuperar o potencial turístico que o concelho deteve em tempos, a diminuição das assimetrias entre a cidade de Machico e as freguesias rurais são outras das suas apostas.

A candidata prometeu "um projeto melhor para resolver os problemas concretos" da população de Machico e disse que vai "aceitar de forma humildade" o resultado eleitoral.

O atual executivo municipal de Machico é composto por quatro eleitos do PS, incluindo o presidente, Ricardo Franco, e três do PSD sem pelouros.

Na corrida à presidência da Câmara Municipal nas eleições autárquicas são também candidatos Carlos Costa (JPP), Pedro Carvalho (CDU), Ricardo Franco (PS), Ricardo Sousa (PSD), Ricardo Giestas (BE), Álvaro Araújo (PNR), Lucília Sousa (PTP) e Virgínia Henriques (MPT).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon