Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Narciso Miranda leva 19 mil assinaturas para candidatura a Matosinhos

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/08/2017 Administrator

O candidato independente à Câmara de Matosinhos Narciso Miranda entregou hoje no tribunal "mais de 19.000 assinaturas", assumindo a candidatura às eleições autárquicas como "uma missão" de quem "pode não ter dinheiro, mas tem a confiança do povo".

"Esta candidatura terá listas a todos os órgãos autárquicos em Matosinhos. Estabeleci o princípio de apresentar o número mínimo de assinaturas, somando-lhes 30%, o que corresponde a mais de 19.000, apenas para que não falhe nada e não entro no campeonato do número de assinaturas. Sou candidato porque, com sentido de humildade e responsabilidade, faço-o por missão. Por ter colocado Matosinhos na linha da frente ao nível metropolitano, no Norte e no país e considerar que posso continuar a contribuir", disse à agência Lusa, Narciso Miranda.

O candidato independente, que já foi presidente da Câmara de Matosinhos eleito pelo PS, e que em 2009 também já se candidatou como independente, mas perdeu as eleições para Guilherme Pinto, (autarca que morreu em janeiro), apontou estar a candidatar-se por sentir uma "obrigação política, ética e moral" de "oferecer" a sua "experiência e capacidade de trabalho" e não deixou de lançar críticas a outros candidatos.

"Será uma disputa normal, resultante de uma situação excecionalíssima que se respira em Matosinhos. Respira-se uma grande crispação, uma profunda divisão no universo partidário. Continuo a não perceber, e Matosinhos também não, como é que cidadãos são candidatos há quatro anos como independentes com críticas duríssimas sobretudo ao seu partido de origem, governam as autarquias com maiorias absolutas com essa candidatura independente e agora são anexados por um partido", afirmou Narciso Miranda.

O candidato referia-se à candidatura de Luísa Salgueiro (PS) que integra independentes do Movimento "Guilherme Pinto por Matosinhos" que atualmente lidera a câmara, tendo-a ganhado em 2013 contra António Parada, que agora também é candidato independente com o apoio do CDS, mas nas anteriores autárquicas concorreu pelos socialistas.

"Isto não é um processo politicamente sério, mas estou convencido de que o povo de Matosinhos é um povo lúcido e atento e que sabe avaliar estas atitudes. Eu candidato-me para servir Matosinhos e os matosinhenses", apontou.

Narciso Miranda vincou que protagoniza "uma campanha de proximidade e de contactos diretos" e contou que lhe têm perguntado o porquê de ser o único candidato que ainda não tem 'outdoors'.

"Respondo que, primeiro, não ganho as eleições com 'outdoors', ganho com o povo, e, segundo, não tenho dinheiro. Quem vai a um jantar meu paga, quem vai a um almoço paga. Não ponho em causa a origem do dinheiro dos outros, mas eu não tenho. Mas quero é ter o povo comigo e sinto que tenho o povo", disse.

Além dos candidatos citados, concorrem a Matosinhos, distrito do Porto, Jorge Magalhães (PSD), José Pedro Rodrigues (CDU), Ferreira dos Santos (Bloco de Esquerda) e Filipe Cayolla (PAN).

As eleições autárquicas estão marcadas para 01 de outubro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon