Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Pizarro (PS) quer devolver Parque da Prelada à população do Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/09/2017 Administrator

O candidato do PS à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, afirmou hoje pretender transformar o Parque da Prelada, propriedade da Santa Casa da Misericórdia, fechado desde 2006, num "espaço de usufruto público".

O socialista disse que, em cooperação com a Santa Casa do Porto e investindo cerca de 2,5 milhões de euros, "é possível colocar este parque de forma completamente aprazível à população", com espaços de lazer, convívio, prática desportiva e até hortas biológicas.

"Ainda por cima com a mais valia adicional, que é a recuperação patrimonial de um jardim que foi desenhado por Nicolau Nasoni", notou, acrescentando que aquela ampla parcela de terreno que está separada pela Via de Cintura Interna pode voltar a ligar-se "com uma passagem superior simples".

Questionado sobre o motivo pelo qual o atual executivo, liderado pelo independente Rui Moreira e do qual fez parte até maio, não tomou a iniciativa, Pizarro respondeu que, não sendo presidente da câmara, "não podia tomar conta de todos os assuntos".

"Se fizemos o que fizemos não sendo a liderança da câmara, imaginem o que faremos, como espero que aconteça, a partir da próxima semana se eu for o presidente", vincou.

O provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, António Tavares, que é mandatário do candidato do PSD/PPM, Álvaro Almeida, disse que a autarquia não avançou com uma parceria para abrir o parque "porque provavelmente não é fácil".

Trata-se de um projeto que "necessita de muita atenção e muito empenho", mas "a partir do dia 01 vai ter de haver tempo", considerou Tavares.

O responsável apelou ainda aos candidatos "que não fiquem na câmara e que vão para a oposição" a "também ajudarem nesse domínio".

Questionado se o encontro com António Tavares poderia ser um sinal de um pré-entendimento entre o PS e o PSD/PPM, Pizarro justificou que a Santa Casa é a proprietária daquele parque, mas que ficava "muito satisfeito" por haver abertura para dialogar com a sua candidatura.

Sobre entendimentos com outros partidos caso vença as eleições, o candidato reafirmou que encontrará "uma solução de governo estável e tranquila para a câmara, que respeite naturalmente o programa do PS".

"Eu não tenho o monopólio da verdade. Com toda a certeza há propostas de outros candidatos que são seguramente boas para o Porto e eu não tenho nenhum problema em concretizá-las e em dar ao seu autor a sua autoria", afirmou, sublinhando que gosta de "ponderar as propostas pelo seu real valor", e não pela sua origem política.

São candidatos à Câmara do Porto o independente apoiado pelo CDS-PP e MPT e atual presidente, Rui Moreira, o socialista Manuel Pizarro, Álvaro Almeida, pela coligação PSD/PPM, Ilda Figueiredo, da CDU, João Teixeira Lopes, do BE, Bebiana Cunha, do PAN, Costa Pereira, do PTP, Sandra Martins, do PNR, e Orlando Cruz, do PPV/CDC.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon