Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: PS/Porto promete integrar SRU no município até final do ano

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/07/2017 Administrator

O candidato do PS à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, prometeu hoje que se for presidente no próximo mandato vai integrar no município, "até ao final do ano", a Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU).

"Se eu for presidente da Câmara, a SRU será integrada no município até ao final do ano com toda a certeza", declarou à Lusa o candidato socialista, à saída de uma reunião com a administração da SRU Porto Vivo, que decorreu ao final da manhã de hoje, durante uma hora e meia.

A visita de hoje do candidato Manuel Pizarro à sede da SRU, no centro histórico do Porto, surge um dia depois da publicação, em Diário da República, do diploma legal (Decreto Lei nº 88/2017, de 27 de julho) que cria condições para que possa ser concretizada a transferência da SRU do Porto para a posse plena da Câmara Municipal do Porto.

Na reunião com a administração da SRU, Manuel Pizarro esteve a examinar as possibilidades de utilização do património que ainda pertence à SRU para a função habitação e, de um modo geral, para uma utilização diversificada no centro histórico que "não deixe tudo o que é feito apenas para o turismo", explicou o candidato socialista.

"Ainda há possibilidades de intervenção que pretendemos concretizar no próximo mandato. Neste atual mandato, por minha iniciativa, a Câmara Municipal do Porto iniciou um processo de requalificação dos prédios que ainda é possuidor para a função de habitação. Com essa primeira fase vão ser criadas cerca de 100 fogos para colocação no mercado e temos, na SRU, a possibilidade de uma nova fase com algumas dezenas de fogos que podem ser colocados no mercado se for reabilitado para a função habitação", considerou.

O candidato socialista considera também que tanto a Câmara Municipal do Porto, como a SRU, devem investir no seu património de forma a colocá-lo no mercado com rendas acessíveis.

"A única solução alternativa é haver oferta pública, porque essa oferta pública é que pode ser orientada para os serviços aos cidadãos e não orientada apenas pela expectativa de um lucro de curto prazo", disse.

Questionado pela Lusa sobre se também defende a ideia do candidato independente Rui Moreira (com quem o PS manteve uma coligação pós eleitoral até maio) sobre a direito de preferência, Manuel Pizarro também defendeu a ideia de continuar a política do exercício do direito de preferência por parte da Câmara Municipal para alargar a propriedade e a oferta pública no centro da cidade, reconhecendo que é o único "meio alternativo".

"Acho que é essa a questão essencial e que fará a diferença", acrescentou.

Há oito dias, dia 21 de julho, na apresentação do programa "Habita Porto", o candidato do PS à Câmara do Porto prometeu disponibilizar no próximo mandato três mil casas com rendas acessíveis para a classe média, incluindo no bairro do Aleixo, após liquidar o Fundo criado para o demolir.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon