Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: PS sem candidatos em quase metade das freguesias de Bragança

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/08/2017 Administrator

O PS não conseguiu formar listas e apresentar candidaturas em quase metade das freguesias do concelho de Bragança, com o candidato à Câmara, Carlos Guerra, a reconhecer hoje que "é a primeira vez" que tal acontece.

O Partido Socialista entregou hoje, no Tribunal de Bragança, as listas de candidatos à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e a 22 das 39 freguesias do concelho, com o candidato à principal autarquia a atribuir a falta de candidaturas nas restantes a alegada "coação" do PSD, no poder há 20 anos no concelho.

"É a primeira vez que o PS não apresenta lista em todas. Lamentamos muito, mas quando se luta contra um poder instituído neste formato, uma coação absolutamente inaceitável que eu confesso que nunca imaginei ver ao fim de tantos anos de democracia", afirmou Carlos Guerra.

Confrontado com as críticas, o presidente da Câmara e candidato do PSD afirmou que não comenta "esse tipo de afirmações".

O candidato socialista afirmou que o partido não conseguiu fazer listas "em juntas que já são do PSD" porque "houve candidatos, houve listas constituídas que desistiram à última da hora, uns porque iam ter problemas no trabalho, outros porque ofereceram empregos aos filhos", concretizando que "na sexta-feira de manhã desistiram duas listas constituídas porque não queriam ter problemas".

"Eu penso que é o vício de 20 anos de governação (PSD), o que só nos dá força para lutarmos para acabarmos com este poder instalado que de facto começa a ser tudo menos democrático", continuou.

Os socialistas ressalvaram que começaram "tarde" a elaborar as listas para as autárquicas de 01 de outubro e, embora sem candidatos em quase metade das freguesias (17), sublinham que aquelas onde concorrem "representam 80 por cento dos votos do concelho".

As listas entregues hoje "são para vencer", afirmou o candidato socialista, apontando "um denominador comum: há muita gente jovem, pessoas que, sobretudo no meio rural estavam um bocadinho afastadas da sua origem e que regressam com listas muito interessantes, sobretudo porque são muito criativas".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon