Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: PSD vai convidar PS a aceitar pelouros em Santarém

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/10/2017 Administrator

O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), vai reunir-se esta semana com o presidente da concelhia socialista para lhe propor a assunção de pelouros, proposta que Rui Barreiro disse à Lusa estar disponível para ouvir.

"Vamos conversar, vamos ouvir. Sempre defendi que quem está na câmara deve participar ativamente na sua gestão, desde que sejam dadas as condições para isso", disse Rui Barreiro, o cabeça de lista do PS à Câmara nas eleições de 01 de outubro.

Rui Barreiro adiantou que vai ouvir o que Ricardo Gonçalves "pretende oferecer à oposição e em que condições o pretende fazer", garantindo que da parte dos quatro eleitos do PS será sempre colocado "em primeiro lugar o interesse dos escalabitanos".

No seu discurso de tomada de posse para um segundo mandato, na terça-feira à noite, Ricardo Gonçalves desafiou a oposição socialista a um "amplo consenso".

À Lusa, o autarca disse que irá apresentar a proposta de "alguns pelouros" numa reunião a realizar esta semana, por entender que a política deve ser "encarada, de vez, sem divisionismos".

"Disse que o nosso partido é Santarém e assim quererei trabalhar", afirmou, lamentando que muitas vezes se gaste "tempo e muitas energias" quando a preocupação devia ser "convergir para o concelho".

"Espero ter capacidade e estar à altura de o fazer e tenho quase certeza absoluta de que o PS também está interessado nessa convergência", declarou.

Rui Barreiro afirmou que, apesar de não ter alcançado o objetivo de "ganhar a Câmara", o PS irá "fazer honra" aos quase 10.000 eleitores que lhe deram o seu voto e os quatro vereadores eleitos vão assumir o mandato "com a intenção de criar condições para ajudar no desenvolvimento do concelho, com perspetivas e ideias diferentes", mas assumindo "essa responsabilidade".

Para o vereador, o facto de "alguns pontos" do programa socialista terem sido "adotados no discurso da lista ganhadora" ajuda a criar condições para um entendimento.

"Não temos problemas nenhuns em que seja executado o nosso programa, porque temos certeza que Santarém ficará a ganhar. Não é por divergências de programas que não haverá condições de trabalho", disse.

Rui Barreiro afirmou que um dos objetivos da bancada socialista no atual mandato será "aumentar a transparência do executivo municipal".

"Não se compreende que, numa eleição em que os eleitos supostamente estão mais próximos dos eleitores, não haja uma participação muito maior no exercício de cidadania e participação ativa nas decisões", disse, sublinhando que o número de eleitores que não votaram "deve ser a principal preocupação dos órgãos políticos".

Para Rui Barreiro, "isso implica chamar mais os cidadãos a conhecerem as decisões dos órgãos autárquicos e a envolve-los também no que são as decisões".

O vereador apontou ainda as "muitas tarefas municipais que devem ser postas em prática e são muitas vezes esquecidas", como as que se prendem com a segurança dos cidadãos, frisando que, no caso dos recentes incêndios, há "muitas responsabilidades [dos municípios] ainda não postas em cima da mesa", dando o exemplo da inexistência de simulacros de incêndios florestais e a necessidade de confrontar os cidadãos com o que devem fazer nessas situações.

Nas eleições do passado dia 01, os 27.776 eleitores (dos 51.718 inscritos) que votaram no concelho de Santarém deram a maioria absoluta ao PSD, com 43,2% (com mais um voto que em 2013), elegendo cinco mandatos, ficando o PS com os restantes quatro membros do executivo municipal, já que obteve 34,1% e mais 496 votos que há quatro anos, surgindo a CDU como a grande derrotada no concelho, ao perder 753 votos (ficou com 7,6%), e o vereador e a única freguesia que detinha (Póvoa da Isenta).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon