Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Teresa Leal Coelho (PSD) candidata-se para "devolver a casa aos lisboetas"

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

A cabeça de lista do PSD à presidência da Câmara de Lisboa, Teresa Leal Coelho, apresenta hoje a sua candidatura, estabelecendo o objetivo de "devolver a casa aos lisboetas", através de políticas "sustentáveis" de mobilidade e de habitação.

"Quero devolver a casa aos lisboetas, quero devolver a cidade de Lisboa para que as gerações aqui possam viver [...] confortavelmente", disse a candidata à agência Lusa.

Teresa Leal Coelho sublinhou ter uma "visão para Lisboa que é diferente daquela que tem sido levada a cabo nos últimos dez anos de executivo do PS".

"Tenho condições de apresentar um programa para a cidade de Lisboa e executá-lo, programa esse que se dirige sobretudo àqueles que vivem em Lisboa, àqueles que querem viver em Lisboa e que têm sido afastados de Lisboa por se ter tornado difícil comportar os custos de vida", sublinhou.

Como "primeira prioridade" apontou, por isso, "as famílias e a sua vida do quotidiano", que pretende melhorar através de uma aposta na mobilidade.

"Garantirmos um transporte público com a qualidade que as pessoas necessitam [...] e criar condições para, se optarem pelo automóvel, poderem estacionar em Lisboa", precisou a social-democrata.

Quanto à habitação, Teresa Leal Coelho vincou que a classe média deve "poder escolher viver em Lisboa", razão pela qual defendeu o lançamento de medidas de "discriminação positiva" no arrendamento e na compra de imóveis.

Em causa estão "isenções fiscais e medidas de incentivo" para os proprietários colocarem fogos no arrendamento habitacional, em vez de os converterem em alojamentos turísticos.

A candidata lembrou, também, que a Câmara é a "maior proprietária da cidade", pelo que "tem de pegar no seu património e pô-lo à disposição para habitação".

No que toca à política fiscal, notou que as receitas municipais provenientes de impostos e de taxas e de tarifas "têm aumentado sucessivamente", pelo que propôe o fim da "inconstitucional" taxa de proteção civil, o aumento da devolução do IRS aos munícipes e isenções de IMI nos primeiros anos após compra da habitação.

"Nós temos de garantir às pessoas que aqui vivem e que aqui querem viver condições de vida sustentáveis", reforçou.

Questionada sobre a polémica em torno na escolha do seu nome para encabeçar a lista social-democrata, Teresa Leal Coelho afirmou: "Eu sou a candidata do PSD à Câmara Municipal de Lisboa e tenho muito orgulho nisso. Tenho um programa para a cidade e tenho muita vontade de mudar aquilo que são as prioridades para a cidade de Lisboa".

A apresentação está marcada para as 19:00 no exterior da Fundação Champalimaud, em Lisboa, e conta com a presença do líder do PSD, Pedro Passos Coelho.

Teresa de Andrade Leal Coelho, que completou 56 anos a 29 de março, nasceu em Moçambique e é licenciada em Direito pela Universidade Lusíada de Lisboa, onde leciona e pela qual tem o curso completo para doutoramento na área de jurídico-políticas.

É vereadora na Câmara de Lisboa desde 2013, depois de ter sido número dois da lista PSD/CDS-PP/MPT encabeçada por Fernando Seara.

Para a corrida autárquica na capital foram já anunciadas, além de Teresa Leal Coelho, as candidaturas da líder do CDS-PP, Assunção Cristas, do comunista João Ferreira, do bloquista Ricardo Robles, de Inês Sousa Real (PAN), do atual presidente do município, Fernando Medina (PS), de Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!) e do ex-autarca socialista Carlos Teixeira (independente apoiado pelo PDR e pelo JPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon