Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Tribunal admite candidaturas de Isaltino Morais e Sónia Gonçalves em Oeiras

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/08/2017 Administrator

Oeiras, Lisboa 14 ago (Lusa) - O Tribunal de Oeiras aceitou as candidaturas independentes de Isaltino Morais e de Sónia Gonçalves à Câmara de Oeiras nas próximas eleições autárquicas, depois de terem contestado a decisão do juiz Nuno Cardoso, anunciaram hoje as duas candidaturas.

O Grupo de Cidadãos Eleitores "Isaltino - Inovar Oeiras de Volta" e o movimento independente "Renascer Oeiras 2017" viram as suas candidaturas serem rejeitadas na semana passada por "irregularidades" na identificação dos candidatos, mas garantiram ter cumprido a lei.

Em comunicado, a candidatura de Isaltino Morais indica já ter sido notificada da decisão e considera que se "repôs a normalidade no processo eleitoral em Oeiras, devolvendo aos cidadãos oeirenses o poder de decisão sobre quem deve governar" o concelho.

"Agora é o tempo de todas as candidaturas apresentarem as suas propostas aos eleitores. Propomos aos oeirenses o lançamento de um novo ciclo de desenvolvimento, alicerçado no exercício pleno da cidadania, que devolverá a Oeiras a voz que perdeu e a ideia e o objetivo de ser permanentemente uma referência nacional e europeia", refere o grupo independente, que sublinha ainda estar confiante na vitória no dia 01 de outubro.

Em declarações à agência Lusa, Sónia Gonçalves, do movimento independente 'Renascer Oeiras 2017', admitiu que estava convicta de que a decisão lhe seria favorável.

"Eu sabia que tudo ia correr bem. Confirma-se que a Justiça funciona e que estava tudo de acordo com a lei", sustentou.

As candidaturas de Isaltino Morais e Sónia Gonçalves foram rejeitadas, na passada terça-feira, pelo juiz Nuno Cardoso, que detetou, segundo o despacho, "irregularidades" na identificação dos candidatos das listas.

No mesmo dia, Isaltino Morais garantiu que cumpriu "escrupulosamente a lei" e levantou suspeitas sobre o juiz, questionando a sua imparcialidade, uma vez que, disse, tem como seu padrinho de casamento o atual presidente da Câmara de Oeiras e também candidato nas próximas eleições, Paulo Vistas.

Os dois independentes reclamaram da decisão dentro do prazo previsto.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon