Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas: Victor Mendes (CDS) quer 3.º mandato em Ponte de Lima e manter maioria

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/08/2017 Administrator

O presidente da Câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes (CDS-PP), que concorre ao terceiro mandato nas eleições de 01 de outubro, disse hoje que quer manter a maioria no executivo para cumprir o "grande desafio" da qualificação de recursos humanos.

"A qualificação dos recursos humanos é o grande desafio do novo mandato, durante o qual queremos continua a governar com maioria. O concelho tem de ser cada vez mais atrativo desse ponto de vista para a continuar a atrair empresas que criem, sobretudo, postos de trabalho qualificado. Esse é também o caminho para aumentar rapidamente a taxa de natalidade que o executivo acompanhará com uma forte componente de apoio à infância", afirmou hoje à Lusa Victor Mendes.

O autarca, de 54 anos, que entre 2001 e 2009 cumpriu dois mandatos como vice-presidente da Câmara durante a liderança de Daniel Campelo, adiantou que "entre 2013 e 2017 foram criados 2.130 empregos e que até ao primeiro semestre de 2018 estão previstos mais 820, dos quais 160 são altamente qualificados".

"Temos que continuar a trabalhar com as empresas, com o Instituto Politécnico de Viana do Castelo, com a Universidade do Minho e com as escolas profissionais para criar massa crítica. Ponte de Lima tem de passar a ser exportador de conhecimento para acrescentar valor ao concelho. Aí é que está o futuro do território", referiu.

Além da "forte aposta" na educação, Victor Mendes, que é também presidente da Comissao Política Distrital do CDS, acrescentou que outra das prioridades "essenciais" do novo mandato será a "manutenção da sustentabilidade financeira do município".

"É fundamental para continuarmos a ser dos concelhos do país que maior investimento faz em termos absolutos e que consegue transferir mais dinheiro para as Juntas de Freguesia e associações Queremos ainda manter os benefícios fiscais aos cidadãos e empresas. Por ano, abdicamos de 2, 4 milhões em receitas fiscais para garantirmos a atratividade e competitividade do concelho", disse.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon