Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autárquicas/Vila Real: António Carvalho quer recuperar câmara para o PSD

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/09/2017 Administrator

O candidato do PSD à Câmara de Vila Real, António Carvalho, assumiu o desafio de lutar contra a "propaganda socialista" e recuperar a liderança no município perdida há quatro anos.

António Carvalho, 56 anos, é professor e foi candidato pelo PSD em 2013. Depois da derrota eleitoral assumiu o lugar de vereador da oposição na Câmara Municipal de Vila Real, liderada por Rui Santos.

O PS conquistou há quatro anos e pela primeira vez o município, que, desde as primeiras eleições livres em Portugal, sempre foi liderado pelo PSD.

"Apesar de entender que as coisas poderão ser mais difíceis do que foram no passado, nesta altura eu sinto que há, pelo menos, uma maior preparação e todo um consenso alargado, unânime, em torno da minha candidatura", afirmou o social-democrata à agência Lusa.

O candidato disse que foi convidado pelo partido para encabeçar a lista e aceitou porque o que o move "é a causa Vila Real (...), a sustentabilidade de Vila Real, o seu crescimento, desenvolvimento, a fixação de população, de empresas e a criação de emprego".

António Carvalho criticou a "gestão casuística" de Rui Santos e aquilo que disse ser a "propaganda" que o executivo municipal tem feito ao longo destes quatro anos de governação socialista.

"É, no fundo, uma comissão de festas. Este executivo concluiu que é mais fácil atrair pessoas com festas, foguetes e Facebook, em vez de trabalhar e de delinear uma estratégia para Vila Real de médio e longo prazo", sublinhou.

E, para "desmontar" aquilo que diz ser "propaganda", o social-democrata argumentou com a "diminuição de população em cerca de menos 1.200 cidadãos deste 2012, com a "descida irrisória do Imposto Municipal sobre Imóveis", que poderia "ter ido muito mais longe", já que as receitas com este imposto subiram dos 3,6 milhões de euros para os quase seis milhões de euros.

O candidato do PSD assumiu, como primeiro compromisso eleitoral, a redução do IMI para a taxa mínima.

"Não é em quatro anos, ou no final de mandato. A minha primeira decisão será baixar o IMI para a taxa mínima de 0,3%. Ou seja, na primeira oportunidade que tiver, vou devolver aos cidadãos 25% daquilo que pagam", afirmou.

António Carvalho foi dirigente sindical, passou pela central sindical UGT, foi diretor do Centro de Juventude, coordenador adjunto do Centro de Área Educativa de Vila Real, diretor do Centro de Emprego e Formação Profissional, diretor do Agrupamento de Escolas Monsenhor Jerónimo do Amaral e presidente da Junta de Constantim.

Em 2013, foi eleito presidente da concelhia de Vila Real do PSD, que deixou no ano passado para "dar liberdade ao processo eleitoral".

O social-democrata assumiu a responsabilidade pela derrota de há quatro anos, porque encabeçava essa candidatura: "Sou candidato porque todos querem e porque todos me pediram para o ser, e porque o partido, de forma unânime, me pediu para ser candidato. Estou de corpo e alma e não estou em nada para perder".

Nas últimas eleições autárquicas, o PS conquistou pela primeira vez a presidência da autarquia capital de distrito com 13.467 votos (44%), conseguindo cinco mandatos, enquanto o PSD reuniu 12.926 votos (42,23%), obtendo quatro mandatos.

O CDS-PP conseguiu 1.482 votos (4,84%), a CDU conquistou 730 votos (2,39%) e o Bloco de Esquerda reuniu 612 votos (2%).

Em 2009, o executivo tinha apenas sete assentos, quatro dos quais foram ocupados pelo PSD. Os restantes três ficaram com o PS.

A 01 de outubro, António Carvalho vai disputar as eleições com o atual presidente, Rui Santos (PS), Joana Rapazote (CDS-PP), João Paulo Correia (CDU) e Mário Gonçalves (BE).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon